Psicoterapia de reprocessamento

O EMDR é uma nova abordagem e um novo método utilizado em psicoterapia, com determinado número de sessões. Trabalha com a estimulação bilateral dos hemisférios cerebrais, viabilizando conexões entre as redes neurofisiológicas, onde as lembranças dolorosas ou traumáticas são armazenadas. Denominado de Psicoterapia de Reprocessamento, elaborado para ser breve e focal, foi desenvolvido pela psicóloga doutora Francine Shapiro, nos Estados Unidos, na década de 80.

É utilizado para tratar sequelas provocadas por TRAUMAS – Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) – resultantes de assaltos, violências, desastres da natureza (acidentes aéreos, enchentes e outros), abusos sexuais e emocionais.

É empregado também para tratar quadros resultantes de ansiedade generalizada, fobias específicas, desordens de pânico, dores crônicas, luto, depressão, dependência química, compulsões de maneira geral (comida, bebida, cigarro, compras etc.).

Tem-se mostrado bastante eficaz para a instalação de recursos positivos de maneira geral, tais como desempenho no trabalho, na vida acadêmica, esportiva, para empresários, gerentes e nas estratégias de coaching.

COMO ESSA TERAPIA FUNCIONA

A focalização de elementos da memória traumática e a estimulação bilateral (visual, auditiva e/ou tátil), conduzidas pelo terapeuta, promovem a comunicação/conexão entre os hemisférios cerebrais e o reprocessamento do trauma. A pessoa fica com atenção dual, no passado e no presente, com a sensação de maior distanciamento emocional das perturbações.

Os protocolos de atendimento e procedimento do EMDR permitem a volta do funcionamento do sistema, ocorrendo, assim, uma mudança nos pensamentos, emoções, sensações corporais e condutas na vida, pois, uma vez que as recordações negativas são processadas, promovem aumento da autoestima e sensação de domínio diante da vida.

As experiências diárias, incluídas as desagradáveis, são processadas durante o sonho (fase REM do sono). Mover os olhos na prática da terapia EMDR reproduz exatamente esse processo que ocorre nos sonhos, permitindo a conexão entre os hemisférios cerebrais.

PLANO DE TRATAMENTO

Com a terapia EMDR, focalizamos em três períodos de tempos diferentes:

EVENTOS DO PASSADO: armazenados em estado “bruto” disfuncionalmente, sem ter sido processados, e em função disso acabam criando problemas e sintomas.

DISPARADORES ATUAIS: sintomas e consequências.

FUTURO DESEJADO pelo paciente no que diz respeito ao problema em questão.

COMO SÃO AS SESSÕES DE EMDR?

São utilizados protocolos a cada caso específico.

São realizadas em sessões de uma a duas horas cada sessão e o seu diferencial está na rapidez com que a situação disfuncional deixa de perturbar e o paciente retoma sua capacidade de viver  mais adaptativamente no presente para o futuro.

COMO IDENTIFICAR SE TENHO SINTOMAS DE TRAUMAS

  • “Você tem lembranças negativas que aparecem de repente e com frequência?
  • “Você tem insônia, pesadelos ou sonos repetitivos?
  • “Você tem reações desproporcionais, tais como choro fácil e/ou explosões de ira/raiva sem motivo aparente?
  • “Você evita situações e pensamentos que o façam lembrar experiências negativas?
  • “Você tem sensação de futuro abreviado, de “não vou ter tempo de”?
  • “Você tem dificuldade de concentração?
  • “Você vive em estado de alerta, assusta-se facilmente?
  • “Em situações que remetem ao trauma, você tem sensações corporais, tais como: taquicardia, sudorese, falta de ar, cefaleias, sente cheiros e gostos, ouve barulhos etc.?
  • “Você age ou sente intensamente, como se o trauma ou situação muito perturbadora estivesse ocorrendo no presente?
  • “Você tem sentimentos de desapego ou distância dos outros?
  • “Você tem sentimentos de desapego ou distância dos outros?
  • “Você tem transtornos alimentares ou outras compulsões?

Por Sérgio Fonseca