Distrito Industrial como alternativa para o desenvolvimento local

1145
"Queremos ser reconhecidos como o maior parceiro da indústria, e só com a união dos industriais e industriários, dos sindicatos empresariais e com a contribuição da Fiemg Regional Rio Doce, Sesi e Senai é que poderemos construir indústrias fortes e sustentáveis na cidade", diz Marcos Lopes

Em Governador Valadares, 80% do Produto Interno Bruto (PIB) vem do comércio, mas a cidade também tem um Distrito Industrial que funciona muito bem, com uma estratégia de desenvolvimento que tem como objetivo estruturar o sistema produtivo, aumentar o emprego local e melhorar o nível de vida da população. Algumas melhorias podem fazer com que o Distrito Industrial cresça. A Fiemg Regional Rio Doce, sindicatos empresariais, Sesi e Senai estão nessa missão: atuar na defesa de interesses da indústria, na educação e na promoção da competitividade.

Na região, são mais de 2.042 indústrias que geram cerca de 25.340 mil empregos. A região possui indústrias que desempenham papel de destaque na economia do estado e do país, contribuindo com a geração de emprego e renda. Os principais setores são os de carnes, confecção, têxtil, laticínios, rochas ornamentais, sucroenergético e cerâmica vermelha.

A Fiemg Regional Rio Doce conta com seis sindicatos empresariais de setores importantes para a indústria mineira, como mobiliária, panificação e confeitaria, alimentos, metalurgia, mecânica, material elétrico, vestuário e joias. São eles: Sinpac, Sinvest, Simeval, Sinduscon, Sim e Sindal.

Para o presidente da Fiemg, Marcos Lopes, a Regional Rio Doce reforça o compromisso de atuar na defesa de interesses da indústria, na educação e na promoção da competitividade e, por isso, oferece diversas soluções nas áreas de capitalização e financiamento, meio ambiente, assessoria jurídica tributária e trabalhista e inovação, com realização de palestras, seminários e workshops.

Iniciativas da Fiemg em prol da Indústria

De acordo com Marcos Lopes, o fim do E-social e do Bloco k é um dos grandes objetivos da Fiemg, porque, para ele, não se pode dificultar ainda mais o desempenho das empresas, burocratizando processos e aumentando os custos. “Nosso principal argumento, contrário à implantação do Bloco k e do E-social junto ao governo federal, muito especialmente junto ao Ministério da Economia, é o de que ambos estão na contramão de premissas estabelecidas pelo próprio governo, que, neste momento, empenha-se em melhorar o ambiente de negócios em nosso país e aumentar a produtividade das empresas, reduzir o custo, visando à retomada do crescimento da economia.”

A Fiemg também tem atuado junto ao governo do estado na agilidade dos processos na área ambiental e simplificação dos processos tributários. “Outra luta é com relação à Medida Provisória 881, batizada de Declaração de Direitos de Liberdade Econômica. O texto, fundamental para o futuro do país, foi aprovado pela Câmara dos Deputados, no último dia 13 de agosto, por 345 votos a favor e 76 contra, e segue agora para o Senado Federal”, informa Marcos Lopes.

Com a meta de reforçar princípios constitucionais que são essenciais para o desenvolvimento econômico, a MP 881 aborda pontos como a livre iniciativa e a concorrência, a propriedade privada, a defesa do consumidor, a busca do pleno emprego e o livre exercício de qualquer atividade econômica. A medida é de suma importância para a iniciativa privada, pois resgata valores importantes, que farão com que o crescimento do setor produtivo seja sustentável.

Outros pontos da MP 881 são o combate ao abuso de poder regulatório, o desvio de função, o desrespeito às competências legais, o paternalismo, a burocracia e a irracionalidade administrativa. O presidente da Fiemg reforça que, para que isso aconteça, é necessário que os empresários tenham livre exercício de qualquer atividade econômica, salvo limitadas exceções previstas expressamente em lei.

SENAI

No Senai, a maior rede de educação profissional da América Latina, a capacitação começa aos 14 anos, com a aprendizagem industrial. Referência no Brasil inteiro, é reconhecido pela inovação e soluções tecnológicas e educacionais. O Senai oferece ainda serviços laboratoriais e assessoria técnica e tecnológica para o desenvolvimento de projetos e produtos, aperfeiçoamento de processos produtivos, além de implantar um espaço maker, de incentivo à inovação.

Cursos de qualificação e técnicos também formam verdadeiros talentos no Senai, dando oportunidade para o trabalhador se qualificar e conseguir uma inserção ou sua recolocação no mercado, gerando emprego e renda. “Nossas escolas possuem programas que vão da educação básica à qualificação profissional e projetos educativos conectados ao futuro para aprender fazendo, incentivando a tecnologia e a inovação, com apoio ao surgimento de startups. Este ano implantamos o Senai Lab, voltado exclusivamente para projetos de inovação e desenvolvimento de soluções para a indústria. O resultado foi a realização do 1º Grand Prix de Inovação, com instrutores e alunos, que, durante três dias, desenvolveram projetos que atendam às demandas das indústrias”, informa o presidente da Fiemg.

Pensando sempre no desenvolvimento da cidade, Marcos Lopes conta que já foram ofertados diversos cursos na área de construção civil, gestão e eletromecânica. “Cursos com a possibilidade de crescimento do setor da construção civil, diversos cursos de pedreiro, mestre de obras, carpinteiro e ainda temos programado o curso de pedreiro de acabamento. Sem contar os cursos na área de gestão, incentivando o empreendedorismo. Outro destaque é para o programa de aprendizagem industrial, que neste segundo semestre conseguiu que as indústrias contratassem todos os alunos.”

Lopes destaca uma área que vem crescendo na cidade, a da costura. Por isso o Senai vem desenvolvendo cursos modernos. “Estamos com a terceira turma em andamento, preparando novos profissionais para o mercado. Outras duas turmas de qualificação e aperfeiçoamento já estão programadas para este ano. Outra novidade é o curso técnico em vestuário, na modalidade semipresencial, que começamos a divulgar as vagas. Estamos sempre ouvindo as necessidades dos empresários. Neste ano na Expoagro GV foi levantada a necessidade da criação de novos cursos, como Técnico em Programação de Jogos Digitais, Técnico em Automação Industrial, Qualificação em Refrigeração e Climatização. Esses cursos já estão sendo montados para atender à demanda do mercado. Queremos ser reconhecidos como o maior parceiro da indústria, e só com a união dos industriais e industriários, dos sindicatos empresariais e com a contribuição da Fiemg Regional Rio Doce, Sesi e Senai é que poderemos construir indústrias fortes e sustentáveis na cidade.”

SESI

O Sesi trabalha para fortalecer as indústrias, proporcionar inclusão social por meio de projetos da Rede Sesi de Virtudes e mais qualidade de vida aos empregados, além de oferecer uma educação de qualidade, que prepara o aluno para a vida. Programas como Saúde e Segurança do Trabalho, Odontoindústria, Escola Sesi de Esportes, Escola Sesi de Arte e Cultura e Educação, nos ensinos fundamental e médio, classificam a Escola Sesi como uma das melhores da região. Destaque para os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Os alunos do 3º ano vivenciam, de forma integral, aulas preparatórias, simulados e ainda contam com um aplicativo com conteúdo atualizado, que os prepara para o Enem.

A cultura maker também faz parte da vivência dos alunos. Aplicada através da metodologia lego e robótica, vai desde os anos iniciais até o ensino médio. Outro diferencial da escola é a formação potencializada, em que os alunos do ensino médio fazem, simultaneamente, um curso técnico no Senai, direcionando o aluno para o mercado de trabalho.

Marcos Lopes ressalta que em 2020 o Sesi começará o ano com novidades. “Além dos ensinos fundamental e médio, vamos implantar o ensino infantil, para que consolidemos nossa proposta de preparar o aluno, do ensino infantil ao profissionalizante, para o mercado e para a vida”, adianta.

por Angélica Lauriano | angelica.lauriano@drd.com.br