Secretário de Obras não descarta entrega de Hospital Regional a iniciativa privada

0
364
Secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Marco Aurélio Barcelos, esteve ontem em Valadares para visitar as obras do Hospital Regional.Foto: David Barroso

Passados cinco anos e dois meses do início da construção do Hospital Regional de Governador Valadares, a obra ainda segue sem conclusão. Na manhã de ontem (28), o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Marco Aurélio Barcelos, esteve em Valadares para visitar as obras do hospital, nas proximidades da BR-116, saída para Teófilo Otoni. Na oportunidade, Barcelos pontuou os desafios em um cenário de grave déficit nas contas do Estado, e revelou que a única alternativa para a conclusão das obras, iniciadas em abril de 2013, será buscar parcerias com a iniciativa privada. Enquanto os prazos de entrega são adiados a cada período, o Hospital Municipal de Governador Valadares segue sobrecarregado pela responsabilidade de atendimento à população local e regional (mais de 80 municípios).

Em sua primeira visita a Valadares, Marco Aurélio defendeu a urgência de definir a infraestrutura das obras do Hospital Regional. “O motivo da visita foi para realmente ver com os próprios olhos o descaso com o hospital paralisado. Não há dúvidas de que, mesmo com déficit financeiro, esse empreendimento será tratado com prioridade pelo Estado. Cabe a nós, com as lideranças locais, buscar alguma solução para que isso não perdure mais”, enfatizou o secretário.

Outra alternativa destacada por Barcelos durante sua visita foi a possibilidade de o Hospital Regional ser entregue à iniciativa privada, para que a conclusão da obra não demore ainda mais. “De fato, o grande problema que nós enfrentamos hoje é a falta de recursos. Diante disso, estamos analisando algumas estratégias para concluir a implementação do Hospital por meio de parcerias com a iniciativa privada. Já iniciamos algumas tratativas com grupos de empresários para ver se conseguem assumir o término da obra e eventualmente uma parcela da execução dos serviços prestados pelo hospital”, afirma Barcelos.

O deputado federal Hercílio Diniz (PMDB/MG) também esteve na visita e não descartou a alternativa de a conclusão da obra do hospital ser feita pela iniciativa privada. “Uma visita muito positiva, pois o secretário pôde ver de perto a nossa realidade. Ele esteve aqui representando o governador Romeu Zema, para buscarmos uma solução o mais rápido possível. Vai ter um chamamento público para poder fazer um diagnóstico do hospital. A gente está entendendo que o Governo, nesse momento, não tem condições de concluir a obra. Está sendo pensada uma parceria público-privada, mas nada confirmado ainda. Precisamos nos reunir neste mês para debater sobre essa pauta, que é muito importante para Valadares”, disse.

Hospital ainda está longe de ser entregue

As obras do Hospital Regional de Governador Valadares começaram em 2013, pela empresa Consórcio Socienge Engeform, e tinham término previsto para setembro de 2015, durante a gestão do governo Antônio Anastasia (PSDB). No último mês do governo, em dezembro de 2014, mais de 75% das obras já estavam concluídas (período de 21 meses). No entanto, o governador Fernando Pimentel (PT) assumiu e não deu sequência aos trabalhos da gestão anterior, e determinou que as obras fossem paralisadas em fevereiro de 2015. Na época, na tentativa de justificar a paralisação das obras, Pimentel disse que o orçamento não havia sido votado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O Hospital Regional é de alta complexidade e vai integrar as redes de atenção de urgência e emergência. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES), inicialmente a unidade terá 250 leitos e deverá beneficiar cerca de 1 milhão de pessoas nas regiões Leste e Nordeste de Minas Gerais – ao todo, 86 municípios.

por Eduardo Lima | eduardolima@drd.com.br