Programa Próximos Passos é lançado pelo Sebrae na Apac

As recuperandas Vivielle e Bruna estão ansiosas para ganhar a liberdade e ser inseridas no mercado de trabalho.Foto: Angélica Lauriano 

Novidade na Associação de Assistência e Apoio aos Condenados (Apac) de Valadares. Desde o início de abril, o Sebrae Minas, juntamente com entidades do poder público e da sociedade civil, iniciou o “Programa Próximos Passos” na entidade. A iniciativa tem como principal objetivo contribuir para a melhoria da gestão e capacitar as recuperandas para a reinserção na sociedade. Além disso, visa sensibilizar empresários e comunidade local sobre a importância de um trabalho conjunto, para a ressocialização da população carcerária. Na Apac, tanto a direção como as recuperandas estão esperançosas com a iniciativa do Sebrae. Para apresentar o programa, foi realizado na tarde de ontem, 28, um café com a imprensa.

Para a presidente da Apac, Karine de Souza Campos, o programa Próximos Passos chegou no momento certo, já que a associação passa por reformas de infraestrutura, para a melhoria do atendimento. “Estamos realmente felizes com essa proposta do Sebrae Minas e com tantas entidades comprometidas. Tenho certeza de que os benefícios vão ultrapassar as paredes da Apac e serão percebidos por toda a sociedade. Em Valadares tem muita gente que não conhece o método Apac, muito menos que ele existe na nossa cidade. Tem moradores do Santa Rita que não sabem que a Apac funciona no bairro. A iniciativa vai aproximar as recuperandas da sociedade, e isso  é excelente.”

De acordo com a analista do Sebrae Minas, Fabiana Schimitz, a Apac de Valadares é a segunda unidade assistida pelo programa, seguida da unidade de Caratinga, onde foi implantado pela primeira vez. “O Programa Próximos Passos apoia a Apac com duas vertentes principais, que são a melhoria da gestão da entidade e a capacitação das recuperandas para que possam ser inseridas no mercado de trabalho. Vale ressaltar que o programa foi abraçado por muitas mãos aqui na cidade. Nosso objetivo maior é gerar impacto social por meio da inclusão e do desenvolvimento humano, para a construção conjunta de uma sociedade mais sustentável e justa, focada no bem comum.”

Marcos Chaves, coordenador da Unipac, participou do evento e falou da importância de valorizar os trabalhos sociais. “Procuramos sempre despertar nos alunos da Unipac a importância de se tornarem cidadãos competentes e com uma visão social. Já fizemos trabalhos para contribuir com a Apac, estamos aqui para apoiar o Sebrae. Esse é um trabalho em conjunto com várias entidades, para podermos capacitar as recuperandas.”

Para Regilmar Aguilar Silva, gestor da organização social do Sicoob AC Credi, o projeto vai ajudar as assistidas da Apac a encontrar um novo caminho. “O projeto é muito bacana. É importante capacitar, para que essas recuperandas tenham o que fazer quando saírem da Apac, sendo inseridas no mercado de trabalho, podendo reencontrar seus sonhos.”

Para a recuperanda Vivielle de Souza, que está na Apac há 9 meses, a vinda do Sebrae vai ampliar a visão e elas poderão contemplar o que as espera quando saírem da associação. “É importante estarmos nos capacitando, porque, infelizmente, a sociedade ainda tem um pouco de preconceito. Quando a gente sai é muito difícil conseguir um trabalho, mas, como empreendedoras, vamos poder montar o nosso próprio negócio e buscar algo melhor. O Sebrae está ampliando a nossa visão.”

A recuperanda Bruna Oliveira dos Anjos conta que a oportunidade do Sebrae não tem preço. “Às vezes ficamos longe do mercado de trabalho porque estamos pagando uma sentença, mas, com a capacitação, vamos poder começar uma nova vida. O curso de empreendedorismo, por exemplo, é uma forma prática de aprendermos para um futuro próximo.”

Ações do programa na Apac

Após a formação do comitê gestor e do Conselho de Veneráveis das Lojas Maçônicas de Governador Valadares, e do levantamento das principais demandas da equipe da unidade, o grupo dedicou-se à construção de um plano de ação, a ser executado em 2019. Para as recuperandas, estão previstas atividades nas áreas de empreendedorismo, mapeamento e desenvolvimento de talentos, educação financeira e design de artesanato.

A fim de promover melhorias na gestão da entidade, também fazem parte das proposições atividades focadas no desenvolvimento de uma cultura organizacional e capacitações nas áreas de gestão financeira e de pessoas. Com o objetivo de envolver a comunidade e sensibilizar os empresários, foram programados eventos, como palestras, cafés e participações em atividades externas, para a apresentação e a comercialização dos trabalhos feitos pelas recuperandas.

Apac Valadares

Uma instituição dedicada à reintegração social de condenados que cumprem penas. Essa é a proposta de atuação da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), entidade civil de direito privado, com personalidade jurídica própria, que busca promover a humanização das prisões e oferecer alternativas para o condenado se recuperar.

A modalidade prisional, criada na década de 70 pelo advogado e jornalista Mário Ottoboni, permite que o preso trabalhe enquanto cumpre sua pena, para facilitar sua reinserção social. Segundo a Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (Fbac), em média 72% dos recuperandos assistidos não reincidem.

Atualmente, existem no Brasil 122 Apacs. Minas Gerais é o estado que concentra o maior número de unidades: são 39 em funcionamento – seis para mulheres -, que abrigam mais de 3 mil recuperandos.

Em Valadares, a Apac foi criada há treze anos e abriga atualmente 43 mulheres condenadas, sendo 32 em regime fechado e 11 em regime semiaberto. A instituição, que antes oferecia às recuperandas oficinas de crochê, produção de bolsas e roupas, aulas de inglês e do ensino fundamental, agora está sendo contemplada com diversos outros cursos.

por Angélica Lauriano | angelica.lauriano@drd.com.br