Presidente eleito da Câmara, Júlio Avelar já planeja mudanças

492
Dentre as mudanças, Júlio Avelar solicitou um novo espaço para a Câmara Municipal, a realização de um concurso público, um local mais amplo para os assessores técnicos e redução no número de homenagens. FOTO: Arquivo DRD

O futuro presidente da Câmara Municipal de Governador Valadares, vereador Júlio Avelar (PV), só tomará posse na Mesa Diretora a partir do dia 4 de fevereiro, na primeira reunião ordinária do mês. Porém, ele assume administrativamente o Legislativo no mês de janeiro para que os serviços internos possam seguir seu ritmo, principalmente, no que diz respeito à admissão de assessorias dos vereadores e dos novos ocupantes de cargos na Câmara. Em entrevista ao jornal DIÁRIO DO RIO DOCE, o parlamentar apontou algumas medidas imediatas no seu início de mandato. Dentre as mudanças, destaca-se um novo espaço para a Câmara Municipal, a realização de um concurso público, um local mais amplo para os assessores técnicos e a redução no número de homenagens especiais.

A nova Mesa Diretora da Câmara Municipal tomará posse na Casa somente na 1ª reunião ordinária de 2019, prevista para o dia 4 de fevereiro. A nova mesa será composta por Júlio Avelar (PV) (presidente), Márcion da Fusobras (PR) (vice-presidente), Juninho da Farmácia (PDT) (primeiro-secretário) e Antônio Carlos (PT) (segundo-secretário). Uma mesa plural, com membros da oposição e governo.

Provavelmente, os próximos dias serão de reuniões longas entre os membros da mesa e demais vereadores, pois serão compostas as comissões e novos líderes das bancadas de governo, oposição e independente. Assumindo o Poder Legislativo pela segunda vez, Júlio Avelar afirmou que promete restabelecer a harmonia entre os dois poderes. “Vamos fazer de tudo para que o Executivo possa dar prosseguimento aos seus trabalhos em favor do desenvolvimento da cidade; e acredito que nosso trabalho junto à Câmara será dos melhores, porque é a segunda vez que presido o Legislativo e com os funcionários sempre fui muito bom e educado. Já tivemos uma reunião com as Comissões de Pregões, Licitações e pedimos a mesma seriedade de sempre e agilidades; não nos permitindo errar. Queremos ter uma convivência salutar com toda a imprensa local, dando mais transparência. Novos tempos. Apesar dos nossos 70 anos de idade nos sentimos como um jovem que não quer correr no tempo, mas fazer tudo ao contento de uma cidade que pede rapidez em seu desenvolvimento. Vamos ajudar o prefeito André reconstruir Governador Valadares”, afirma.

Novo local para a Câmara

Uma das mudanças já exigidas por Júlio Avelar é um novo local para o Poder Legislativo. “As instalações da Câmara Municipal são muito apertadas, não têm espaço para as comissões se reunirem e a galeria onde a população assiste as reuniões ordinárias é apertada. Uma possibilidade é futuramente o Estado doar o Fórum para a Prefeitura. Seria uma alternativa viável para todos nós. Também solicitei novas assessorias técnicas, com engenheiros, arquitetos e projetistas, para quando for discutir projetos importantes, tenhamos profissionais capacitados para dar suporte aos vereadores. Outra solicitação é a realização urgente de um concurso público na Câmara”, comentou.

Outra mudança drástica será a redução no número de homenagens especiais realizadas dentro do plenário legislativo. No ano de 2018, as homenagens e títulos honoríficos viraram motivo de chacota em toda a cidade, devido o alto número de pedidos apresentados pelos vereadores. “Haverá uma reunião com os demais vereadores para que as homenagens aconteçam durante as sessões ordinárias da Câmara. Vamos determinar um tempo de 25 a 30 minutos de sessão solene para cada homenagem, da mesma maneira quando eu fui presidente (biênio 2006/2007). A população achou um exagero o número de homenagens nesses últimos dois anos”, salienta.

Câmara e governo devem permanecer juntos

Com a popularidade do prefeito André Merlo (PSDB) abalada em consequência de vários atos polêmicos que marcaram os dois anos de sua administração mais as derrotas recentes na Câmara Municipal, em que sua base governista não o apoiou, e, para piorar, um áudio polêmico em que o prefeito tentou pressionar um vereador da base governista, ameaçando não realizar uma obra no bairro Jardim Atalaia, resultou em um pedido de cassação de seu mandato, que será encaminhado em breve ao Legislativo.

O Ministério Público de Governador Valadares também foi acionado para investigar denúncia de improbidade administrativa. Mesmo com a popularidade em baixa, tudo indica que Júlio Avelar pretende continuar junto ao Governo. “Os projetos que chegarem nesta Casa, se forem importantes para Governador Valadares serão aprovados por unanimidade, até porque esta Casa tem duas vagas da oposição, isso é prova que existe uma Câmara democrática. Seremos 21 vereadores pensando no melhor para nossa cidade”, concluiu.

por Eduardo lima | eduardolima.drd@gmail.com

FOTO: arquivo/DRD

Dentre as mudanças, Júlio Avelar solicitou um novo espaço para a Câmara Municipal, a realização de um concurso público, um local mais amplo para os assessores técnicos e redução no número de homenagens