Suplente de Neném, Juarez Gomes toma posse como vereador em agosto

Perguntado se integrará a base de apoio ao governo municipal, Juarez Gomes afirma não ter sido procurado ainda pelo prefeito André Merlo (PSDB).Foto: Thiago Ferreira Coelho

Com a morte do vereador Neném do Desidério (DEM), o primeiro suplente Juarez Gomes (PTC) assume uma vaga na Câmara Municipal. O presidente do Legislativo valadarense, Júlio Avelar (PV), confirmou que dará posse ao novo vereador na primeira sessão ordinária de agosto. Juarez Gomes já havia sido vereador por sete meses em 2016, quando também era suplente e assumiu a vaga de José Iderlan – um dos parlamentares afastados pela Justiça durante a operação “Mar de Lama”, da Polícia Federal.

“Foram duas situações complexas [as vezes em que, na condição de suplente, foi convocado a assumir mandato]. Da primeira vez tivemos colegas presos, foi uma coisa chata. E agora fiquei chocado. Nem fui ao velório, porque, infelizmente, já tinha gente me ligando, querendo ser meu assessor. Não era hora nem de falar nisso. Era um momento de silêncio e de respeitar a família”, comentou Juarez Gomes.

Sobre Neném do Desidério, de quem herda a cadeira no Legislativo, o novo vereador afirma que mantinha com ele um bom relacionamento: “Tive pouco contato com ele, mas sempre foi um parceiro nosso. Era uma pessoa prestativa, sempre sorridente, que a gente não via de cabeça baixa em momento algum”. Neném do Desidério faleceu no dia 18 e terá hoje sua Missa de Sétimo Dia, celebrada às 19h, na Capela da Igreja de Lourdes (rua Paraná, esquina com rua Espírito Santo, no bairro de Lourdes).

Questionado sobre sua atuação na Câmara, Juarez espera integrar as comissões legislativas para defender seus projetos, oportunidade que ele relata ter sido negada no mandato anterior: “Não sei se será assim agora, mas no outro período eu era ‘meio vereador’. Nós não participamos das comissões, infelizmente. Se eu participar das comissões, nossos projetos podem andar. Não participei de nenhuma comissão, mas em um período curto apresentei nove projetos de lei, de infraestrutura, de cunho social e voltados para o meio ambiente também. Mas meus projetos não andaram”.

Perguntado se integrará a base de apoio ao governo municipal, ele afirma não ter sido procurado ainda por outros vereadores ou pelo prefeito André Merlo (PSDB), mas se diz aberto ao diálogo: “Não fui ouvido, nem pelo Legislativo nem pelo Executivo. Quanto à formação de blocos, não posso adiantar nada. Quando ao Executivo, o que for bom para o município nós estaremos de acordo. Não tenho dificuldade para me relacionar com o prefeito; política é feita com diálogo”.

Fidelidade partidária

Juarez Gomes recebeu 1178 votos na eleição de 2016, quando foi candidato pelo DEM. Em 2018, concorreu a deputado estadual pelo PTC, partido ao qual permanece filiado. Mesmo com a mudança de partido, ele avalia que sua situação não configura infidelidade, por não ter trocado de legenda durante exercício de mandato. “Criou-se a jurisprudência no município. Não só eu, como outros vereadores, tínhamos trocado de sigla [em 2016] e permanecemos na cadeira. Existe muita interpretação sobre isso, mas a infidelidade se dá durante do mandato. Um suplente não é infiel porque trocou de partido”, justificou-se Juarez.

O presidente da Câmara, Júlio Avelar, confirma que dará posse a Juarez Gomes. “Consultei a Justiça Eleitoral, e a Justiça Eleitoral me dá conta que o primeiro suplente do Democratas é o Juarez. Outros comentam que ele saiu do partido para se candidatar a deputado. Vai depender agora do próximo suplente, ou do próprio partido, requerer a cadeira judicialmente. Mas legalmente eu vou empossar o Juarez”, declarou Avelar, que agendou a posse do novo vereador para a próxima reunião ordinária da Câmara, em agosto.

por THIAGO FERREIRA COELHO | thiago@drd.com.br