Primeira Igreja Batista de Valadares completa 86 anos

Primeira Igreja Batista foi fundada quando Valadares ainda era Figueira do Rio Doce. Em meio às comemorações dos 86 anos, toma posse o novo pastor, Hélio Alves

Os dias 6, 7 e 8 de setembro vão ser de muita comemoração na Primeira Igreja Batista de Governador Valadares. A igreja, que completa 86 anos no dia 6 de setembro, foi fundada em 1933, quando Valadares ainda era Figueira do Rio Doce. Além de festejar a data, também haverá cerimônia de posse do novo pastor, Hélio Alves, que veio de Belo Horizonte para assumir essa missão. O tema das comemorações deste ano é “Movidos pela Esperança”, que tem como objetivo mostrar que ainda há esperança no Brasil e nos novos governantes, independentemente do partido.

Casado e com três filhos, pastor Hélio Alves disse se sentir honrado de poder fazer parte dessa história que começou há mais de oito décadas. “Depois de 25 anos em Belo Horizonte, pastoreando uma igreja na Pampulha, senti que era o momento de partir para outro desafio, e coincidiu com o desejo da Igreja Batista de Valadares, já que estava em um momento de transição pastoral. Então, eu entendi que era de Deus a vinda para Valadares.”

O pastor conta que a igreja começou com apenas quatro membros e atualmente tem 417. Em Valadares, 24 igrejas batistas foram influenciadas pela Primeira Igreja Batista. “Tenho a satisfação de fazer parte da comunidade valadarense. Estamos aqui para servir à cidade e região. Convido a população para participar das nossas festividades, neste fim de semana e nos cultos que realizamos toda quarta-feira e domingo, sempre às 9h e às 19h30. Quero contribuir para uma Valadares melhor, para o progresso social e espiritual. Sabemos que a cidade tem carências de muitas ordens, e a principal delas é a espiritual.”

A Primeira Igreja Batista, ao longo desses 86 anos, vem contribuindo para o desenvolvimento da cidade. Todos os anos é realizado o Natal Inesquecível, que já chegou a arrecadar uma tonelada de alimentos. Neste ano, outra novidade que a igreja traz em suas comemorações é a participação no desfile cívico, com mais de 200 membros já inscritos, a maioria adolescentes e da terceira idade. O tema do desfile vai ser “O melhor do Brasil é a Esperança”.

Quando tudo começou

Ainda na década de 30, Figueira do Rio Doce restringia-se praticamente às ruas Prudente de Morais, Sá Carvalho e adjacências, e possuía apenas 2.103 habitantes. Um pequeno grupo de irmãos percorria cerca de quinze quilômetros por semana, a fim de se encontrar para louvar a Deus. O trajeto era difícil, sendo feito a cavalo e em canoas pelo rio Doce, e o destino era a casa dos irmãos Virggilato e Isaltino Campos, do outro lado da Ibituruna, na localidade chamada Gerizim. Lá havia uma pequena Igreja Batista, local utilizado por esses irmãos para cultuar a Deus.

Devido às grandes dificuldades do percurso, e com o intuito de propagar o evangelho a mais pessoas, surge então a ideia de fundar uma Igreja Batista em Figueira do Rio Doce. E assim aconteceu: no dia 6 de setembro de 1933 esses irmãos fundaram a Igreja Batista de Figueira do Rio Doce, que passou a se reunir na casa do irmão Ângelo Silva, localizada na rua Sá Carvalho. Essa nova igreja passou a ser local de culto dos irmãos de Gerizim, da Congregação do Figueira e de outros treze novos irmãos, batizados no culto de fundação da igreja.

O primeiro pastor da Igreja Batista de Figueira do Rio Doce foi Antônio Armindo Júnior, da cidade de Aimorés, em caráter interino. A igreja só viria a ter um pastor efetivo em 4 de fevereiro de 1945, quando tomou posse o pr. Nércio Côdo.

Com as bênçãos de Deus e em pleno crescimento, a Igreja Batista de Figueira do Rio Doce enfrentou sua primeira provação: a de encontrar acomodações melhores para suas reuniões. Mesmo com poucos recursos, a igreja ora alugava um salão, ora se reunia na casa de algum dos membros.

Ao perceber a necessidade de estabelecer um local fixo para essa igreja, o missionário batista Estêvão Jackson e sua esposa se empenharam na realização de uma campanha de arrecadação de fundos, que resultou na compra de um terreno na rua Afonso Pena. Dois anos depois, mais um sonho se concretizava: a inauguração do primeiro templo daquela igreja, que logo teve de ser ampliado para acomodar seu crescimento.

Alguns anos depois, em janeiro de 1938, Figueira do Rio Doce já havia se expandido bastante. Com a chegada da Estrada de Ferro Vitória a Minas, a instalação de uma usina elétrica a vapor e o crescimento das trocas comerciais, a vila se tornou um município independente. A nova cidade foi batizada de Governador Valadares, uma homenagem ao governador do estado na época.

Com essa mudança importante, a Igreja Batista de Figueira do Rio Doce também alterou seu nome, e o carrega até hoje: Primeira Igreja Batista de Governador Valadares.

A Primeira Igreja Batista, então, sob as bênçãos de Deus e com o ímpeto evangelístico de seus fundadores, continuou sua expansão. Dos anos 30 até hoje, plantou e sustentou diversas congregações e igrejas, sempre prezando pela obra missionária e se esforçando para obedecer ao ide de Jesus.

Programação

 

6 de setembro
19h30 – Posse do pastor Hélio Alves

7 de setembro
8h – Participação dos membros no Desfile Cívico
19h30 – Celebração do aniversário com o pastor Alércio Costa, de Belo Horizonte

8 de setembro
10h – Celebração de aniversário
19h30 – Celebração e encerramento

por Angélica Lauriano