Buracos se espalham pelas ruas de Governador Valadares

FOTOS: Eduardo LIma

Passam os anos e a quantidade de buracos continuam crescendo, deixando as vias de Governador Valadares intransitáveis, principalmente nos bairros mais afastados do Centro. O problema se estende desde os bairros mais nobres até a periferia. Segundo os moradores, não há manutenção por parte do poder público e as chuvas ajudam a formar valetas que prejudicam o trânsito de veículos. A equipe de reportagem do DIÁRIO DO RIO DOCE visitou alguns bairros de Valadares que sofrem com a falta de infraestrutura.

Transitar pelas ruas e avenidas de Governador Valadares está cada vez mais difícil, como é o caso do bairro Nova Vila Bretas. Uma das mazelas do Poder Público se encontra na rua Sinval Leite, localizada no final do bairro, em direção ao bairro Jardim Pérola e ligando a um atalho para a BR-116. A quantidade de caminhões que saem de uma empresa de combustíveis prejudica o tráfego na via. Mas se engana quem pensa que essa situação é ruim. A vendedora de água de coco Estenia Alves, que trabalha nas proximidades, diz que as condições da rua estavam bem piores no ano passado. Ela acrescenta que houve uma pequena melhora depois que foram feitos alguns reparos na via e que os carros e caminhões em grande quantidade acabam afundando o asfalto. “Além disso, a poeira é outro problema. Quem vende por perto tem de lavar a entrada todos os dias, pois amanhece muito sujo”, comenta.

A falta de infraestrutura nas ruas e avenidas de Governador Valadares vem causando revolta e muita reclamação entre os moradores. FOTO: Eduardo Lima

Situação do bairro Santo Antônio causa indignação entre moradores

Para chegar em casa, Maria das Graças precisa se desviar dos buracos de sua rua, no bairro Santo Antônio. A rua São Vicente, esquina com a rua 6, é uma das vias que mais estão prejudicadas na região, segundo os moradores. “Para chegar em casa fica difícil, pois tem muitos buracos na rua. Todo ano a Prefeitura promete que vai tampar e não faz nada. Não vai demorar muito para acontecer um grave acidente. Minha mãe já é de idade e não consegue subir o morro sem a ajuda de alguém; com os buracos fica mais perigoso ainda”, comentou Maria das Graças, que mora há 12 anos no Santo Antônio.

O aposentado Edson Alves Fernandes afirma que, em algumas ruas, os buracos são tantos que os motoristas e motociclistas precisam ter paciência e cuidado com pedestres. “Sou morador do bairro há 40 anos e fico indignado com a demora para tampar os buracos. Se fosse no Centro ou em bairro mais rico não tinha esse problema. Esses dias teve um estouro na rede de esgoto e demoraram nove dias para virem aqui. Quem tem carro tem dificuldade para estacionar em local seguro”, reclama. Outro trecho que vem dando dor de cabeça aos moradores fica na rua 14 esquina com a rua 4. Uma parte da rua cedeu, em decorrência das chuvas no final de dezembro, e formou-se uma cratera, colocando em risco a estrutura da casa que fica ao lado da rua.

Moradores cobram pavimentação

Uma pequena parte do bairro Santos Dumont II não parece fazer parte de Governador Valadares. No período de chuva, a poeira dá lugar à lama, que obriga os moradores a entrarem com os calçados cobertos de barro em casa. A pavimentação da rua Expedito Ferreira de Carvalho virou um sonho para os moradores. “Já perdemos as esperanças de um dia calçarem essa rua. Todos os anos só tem promessa”, afirmou a moradora Mariza Dias.

por Eduardo Lima | eduardolima.drd@gmail.com