“A vida vai seguir seu curso normal”

0
387
FOTO: Divulgação

Vice Hamilton Mourão prevê “volta de recursos”
após aprovar a nova Previdência

 

Delação que cita Maia é fraca, dizem criminalistas

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), terá de administrar o inevitável desgaste político decorrente da citação ao seu nome na delação de Henrique Constantino, um dos chefões da GOL, mas não há o que temer do ponto de vista penal, segundo importantes criminalistas, advogados de outros personagens, que tiveram acesso à íntegra dos depoimentos. “O que há é muito fraco”, disse um deles.

Doação eleitoral

No capítulo Rodrigo Maia, Henrique Constantino relatou à força-tarefa da Lava Jato uma suposta doação a campanha eleitoral.

Benefício financeiro

O trecho da delação sobre Maia fala em “benefício financeiro” recebido da Associação Brasileira de Empresas Aéreas, mas não cita valores.

Propina antecipada

O MPF tem interpretado doações como corrupção ou antecipação de propina, mas a tese é controversa nos tribunais.

Caso a caso

O Supremo Tribunal Federal analisa caso a caso, mas, em alguns casos, doações eleitorais têm sido consideradas propina antecipada.

Deputado do Novo investigado por auxílio-moradia

O Conselho de Ética do partido Novo investigará o deputado federal Alexis Fonteyne (SP) por uso indevido de auxílio-moradia, contra o que dispõe o Programa para Um Novo Brasil. Além disso, ele não assinou o termo de compromisso, conforme determina o Comitê 2018. No referido documento, o candidato se “abstém da utilização do auxílio-moradia”. O requerimento foi apresentado pelo advogado Rafael Dimitrie Boskovic.

Mau exemplo

Dos oito deputados eleitos pelo Novo, Alexis Fonteyne é o único que recebe auxílio-moradia, o que tem incomodado seus correligionários.

Conduta suspeita

O documento pede investigação ainda do diretório estadual do Novo em São Paulo, e do seu presidente, Fernando Meira.

‘Não é privilégio’

Alexis se explica: “Sei distinguir muito bem entre um privilégio e um benefício, e por isso nunca fiz campanha contra o auxílio-moradia”.

Lucro errado

O lucro de R$ 11,1 bilhões do BNDES no primeiro trimestre é quase o dobro dos R$ 6,7 bilhões de todo o ano de 2018. Não se deve à melhoria da eficiência, mas à venda de participações societárias.

Olha quem era

Faixas de “Lula livre” e “não à reforma da Previdência”, nos protestos pela Educação, quarta (15), mostram exatamente os “militantes idiotas úteis” aos quais o presidente Jair Bolsonaro se referiu.

Tapioca custa caro

Do jeito que atacou os “cortes”, na Câmara, o ex-ministro Orlando Silva (SP) parece não perceber que o País quebrou em razão de atitudes como a dele, que usou dinheiro público até para pagar tapioca.

Dinheiro voltará

O vice Hamilton Mourão prevê a reforma da Previdência para “final de julho, início de agosto”. Para ele, após a reforma, os “recursos vão voltar, inclusive, para universidades e outros setores do governo”.

Recesso no meio

O ministro Paulo Guedes (Economia) revelou a jornalistas em Dallas que os presidentes da Câmara e do Senado têm a intenção de aprovar a reforma da Previdência em dois meses. O problema é o recesso.

Fúria no plenário

Maria do Rosário (PT-RS) saiu bufando do plenário da Câmara, após o deputado Marcos Pereira (PRB-SP) travar o bullying contra o ministro Abraham Weintraub (Educação). Pensou que ainda era governo…

Perderam validade

Duas medidas provisórias do governo Temer perderam validade. Uma autoriza doações de R$ 15 milhões a órgãos das Nações Unidas e outra, essencial, que criava a região metropolitana de Brasília.

Eleições e fake news

O Tribunal Superior Eleitoral realiza até esta sexta (17) um seminário internacional sobre fake news e eleições. Com apoio da União Europeia, o evento terá painéis com representantes do Twitter e OEA.

Pensando bem..

…poderia um idiota ser útil de alguma maneira?