[the_ad id="288653"]

Um brinde à ciência: acontece nesta semana o Pint Of Science em GV

FOTO: Lígia Heringer

Evento organizado pela Univale reunirá estudantes em bar na Ilha dos Araújos para debater temas relacionados ao Direito, Saúde, Ciências Contábeis e Arquitetura e Urbanismo

GOVERNADOR VALADARES – Desta segunda (13) até quarta-feira (15), a Univale promove a sexta edição local do Pint Of Science, evento internacional que debate questões científicas e acadêmicas de forma descontraída, em bares de diversos países.

O Pint Of Science vai acontecer simultaneamente em 179 cidades do Brasil e a expectativa é que cerca de 2 mil estudantes participem, apenas em Valadares. O local de encontro dos universitários este ano será a HaüsMalte Ilha, que fica na Avenida Piracicaba, 701, na Ilha dos Araújos.

Para falar um pouco mais sobre o evento, os temas que serão abordados este ano, conversamos com a professora e pró-reitora de graduação da Univale, Adriana de Oliveira Leite Coelho (*), coordenadora do evento em Valadares. Confira a entrevista completa em nosso site, ou em nossos canais no YouTube e Spotify.

FRED SEIXAS – Explica pra gente o que é este evento?

ADRIANA LEITE COELHO – O Pint é um festival internacional de divulgação científica. É uma forma que os pesquisadores encontraram de tornar acessível sobre o que é pesquisado dentro das instituições de ensino.

FRED SEIXAS – E vai acontecer em um bar?

ADRIANA LEITE COELHO – Sim. Em um bar. A ideia é essa. Porque, normalmente, as pesquisas são desenvolvidas dentro das instituições de ensino e elas não chegam normalmente à população. E também a linguagem técnica não é acessível. Então a ideia é essa. As pesquisas são feitas para as pessoas, conforme uma necessidade da comunidade. E elas não sabem o que a gente está pesquisando. Então [o Pint of Science] surgiu em 2012, na Inglaterra, e, em 2015, no Brasil. Aqui em Valadares nós o realizamos desde 2019. Então é uma forma descontraída de tornar acessível o que está sendo pesquisado nas instituições de ensino.

FRED SEIXAS – O evento é aberto? Qualquer pessoa pode ir?

ADRIANA LEITE COELHO – O evento é aberto. O objetivo é democratizar a ciência. Primeiro a gente seleciona as temáticas que serão discutidas. Os professores e pesquisadores se inscrevem, e os bares também. Daí a gente seleciona. Tem que cumprir uma legislação do Pint internacional. Por isso acontece simultaneamente no mundo todo. Este ano a gente focou em um bar só. Então, por noite, terão duas temáticas que serão discutidas.

FRED SEIXAS – Então vai dar pra gente conversar sobre ciência e tomar cerveja?

ADRIANA LEITE COELHO – Isso. Mudar a rotina de sala de aula, de ambiente, de universidade, e de forma lúdica também, porque a gente pede que seja tratado dessa forma. Aí a gente consegue atingir o objetivo que é democratizar a ciência.

FRED SEIXAS – E quais os temas que serão abordados nesta semana?

ADRIANA LEITE COELHO – No primeiro dia (segunda-feira, 13), vamos falar um pouco sobre a questão da pele, racismo e saúde. Como se discute isso, as formas de racismo e discriminação na sociedade brasileira e no âmbito da saúde pública. E vamos falar também sobre o contador. Ninguém sabe dele, ninguém viu, onde foram parar os contadores. Vamos ter uma conversa sobre os impactos socioeconômicos causados pela falta desses profissionais. A gente está vendo a necessidade desses profissionais nos negócios sustentáveis, na gestão das empresas. Então é muito importante conversar sobre isso também.

No segundo dia (terça-feira, 14), nós temos um problema que estamos vivenciando, que é a dengue: não deixe o mosquito da ignorância te picar. Muitas vezes é porque a gente se automedica, não limpa o ambiente. E vai ter uma discussão boa sobre isso, que é um problema de saúde pública. Teremos também uma outra dinâmica com o tema: Posto, logo existo! Será sobre a questão das postagens. Até que ponto os pais vão postando sobre os filhos nas redes sociais. Qual a influência disso na vida deles. Vai ter uma discussão boa com os professores do Direito sobre os limites da autoridade parental.

No dia 15, quarta-feira, a temática será o desafio urbanístico. Todas as cidades são iguais? Responde ou repassa? Vai trabalhar a cidade, os mitos, os desafios, os problemas, as soluções… Vai ser tudo discutido pensando nesse desafio urbanístico. A gente vê ocupação desordenada. Muitas vezes acontecem desastres não apenas por questões ambientais. A gente ocupou um lugar que não era para ser ocupado. É o próprio ser humano que cria algumas situações. Fechando o evento teremos: “Meus heróis morreram de overdose, o Direito no universo musical”. Então de forma bem diferente, o curso de Direito vai trabalhar uma música, mostrando as questões do direito universal.


(*) Adriana Leite Coelho falou ainda sobre os seis anos do evento na cidade e relembrou debates marcantes na entrevista. Confira o conteúdo completo em nossos canais no YouTube e Spotify. Adriana possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Vale do Rio Doce (1998), mestrado em Engenharia de Estruturas pela Universidade Federal de Minas Gerais (2003) e doutorado em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2022). Atualmente, é professora titular da Univale, pró-reitora acadêmica da universidade e coordenadora local do Pint of Science. O Abre Aspas desta semana foi gravado no estúdio de rádio e podcast da Univale, com a colaboração do jornalista Jonathan Reis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

[the_ad_placement id="home-abaixo-da-linha-2"]

LEIA TAMBÉM

Teatro Atiaia recebe exposição de camisas de futebol

🔊 Clique e ouça a notícia GOVERNADOR VALADARES – A partir da próxima segunda-feira (27), a Galeria Monhangara será palco da exposição “Camisas do Campeonato Brasileiro 2024”. Organizada pelo agente