Moradores do Mãe de Deus reclamam de falta d’água há 30 dias

0
218
"Estamos sem água há 30 dias. Nem caminhão pipa chega aqui na rua. Está difícil viver dessa forma", comenta a moradora Maria de Lourdes.Foto: Angélica  Lauriano

O desespero já tomou conta dos moradores da rua Nossa Senhora de Lourdes, no bairro Mãe de Deus. Eles reclamam que falta água no local há mais de 30 dias. De acordo com os moradores, não tem como lavar vasilhas, lavar roupas, tomar banho e muito menos fazer comida, necessidades básicas do dia a dia. Nem o caminhão pipa vai ao local abastecer as caixas d’água. Os moradores já não sabem mais o que fazer.

Esperamos uma solução”, comenta a moradora.Foto: Angélica  Lauriano

A moradora Maria das Dores Santos entrou em contato com o DIÁRIO DO RIO DOCE, em nome dos vizinhos, porque eles não aguentam mais a situação. “Resolvi entrar em contato com a imprensa porque já não sabemos mais o que fazer, está desesperador. Estou comprando comida há vários dias. Na minha casa são quatro pessoas, mas tem gente aqui na rua que tem 10 pessoas em casa. Imagina o desespero? A única coisa que queremos é que o Saae olhe por nós, até porque as contas não param de chegar”, desabafa a moradora.

Ana Paula Santos tem dois filhos pequenos e já não tem nem roupa limpa para vestir nas crianças. “Meus filhos estão ficando o tempo todo de fralda, porque já não tenho mais roupas para vestir neles e nem tem como pedir aos vizinhos, porque eles também não têm água. A comida tem que comprar todos os dias, sem contar a descarga”.

Rita Teixeira de Almeida, que está vivendo o mesmo drama, conta que está buscando água em bairros vizinhos. “Todo dia vou buscar água na casa de amigos. Infelizmente, estamos vivendo isso sempre aqui no bairro”.

De acordo com Lucimar Geralda do Santos, na casa dela tem oito pessoas vivendo sem água. “Limpar a casa é uma coisa que não fazemos há vários dias; lavar roupas, muito menos. É triste a situação que estamos vivendo aqui. Gostaria que as autoridades responsáveis dessem uma posição”.

José Geraldo Lourenço acredita que para o problema da rua ser resolvido o Saae vai ter que fazer uma nova rede. “O bairro cresceu muito. Acredito que a falta de água constante seja por isso; o Saae poderia vir aqui fazer uma vistoria para saber qual é o problema real, já que vivemos com a falta de água constantemente”.

Outro problema que os moradores vêm enfrentando é um buraco na rua desde a gestão passada. “Esse buraco está aqui há 5 anos. Vieram, mexeram na rua e nunca mais voltaram para arrumar o local. Estamos esperando. Quem sabe eles ainda vêm?”, indaga Maria de Lourdes”.

por Angélica Lauriano | angelica.lauriano@drd.com.br

Foto: Angélica  Lauriano