“Eu prefiro ter direito de resposta a ver a censura prévia”

FOTO: Divulgação

 

Augusto Aras, novo procurador geral da República, sobre liberdade de imprensa

Dodge pode ter nomeado 870 antes de sair da PGR

Novo procurador geral da República, Augusto Aras terá muito trabalho para tocar suas atribuições, a começar pela revisão dos últimos atos de nomeação da antecessora Raquel Dodge. O sindicato dos funcionários (SindiMPU) estimou em 870 nomeações, mas a assessoria da PGR garante que entre janeiro e setembro, e não apenas nos últimos dias, Dodge assinou cerca de setecentas portarias, algumas de remoções.

Dupla finalidade

As nomeações de Raquel Dodge teriam o objetivo de premiar aliados e engessar a gestão de Augusto Aras, aprovado ontem por 68×10 votos.

Desabafo explicado

Tantas nomeações explicariam o desabafo de Aras, em sua sabatina: “A ex-PGR queria simplesmente que o futuro PGR não gerisse nada”.

Mão amiga

Uma semana antes de deixar o cargo, Dodge nomeou sua então chefe de gabinete para uma comissão no CNMP, com efeito a partir do dia 30.

Nomeação para o futuro

Quatro procuradores foram nomeados para atuar na Procuradoria Regional Eleitoral do DF, com posse prevista para o próximo dia 1º.

Lentidão do STF facilitou pedrada no rosto de PM

Admira que não tenha ocorrido antes: um manifestante covarde atingiu com violenta pedrada o rosto de um policial militar, nesta quarta (25), em Brasília, na porta do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele recebeu pontos no rosto. O bandido usou uma das muitas pedras portuguesas soltas na Praça dos Três Poderes, que, abandonada há muitos anos, aguarda a reforma prometida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Promessa caducou

O governador Ibaneis Rocha recebeu há meses, do presidente do STF, Dias Toffoli, a promessa de recuperar a praça mais simbólica do País.

Vidas em perigo

O STF ainda não concluiu os projetos. Começou a limpeza das pedras portuguesas na Praça dos Três Poderes, mas muitas continuam soltas.

Apreensão na Praça

Soltas, as pontiagudas pedras portuguesas são um risco permanente à segurança dos envidraçados palácios do Planalto e da Justiça.

Este País é uma piada

Quando a gente acha que se esgotaram todos os motivos para o Brasil virar motivo de galhofa mundo afora, os ministros do Supremo estão prestes a oficializar a bigamia, instituindo pensão para amante.

Demagogia rastaquera

Lei estadual no Rio obriga o Maracanã a retirar cadeiras para refazer a antiga Geral, onde o povão pagava menos para assistir jogos em pé e debaixo de sol, de chuva e de sacos plásticos de urina arremessados da arquibancada. Isso é demagogia de quem nunca ficou na Geral.

Sem poder de mando

Ongueiros usam aliados na mídia para dizer que supostas “lideranças” estão “contestando” a índia, que acompanhou Bolsonaro na ONU. Isso tem uma explicação simples: eles não controlam Ysani Kalapalo.

Nada assinado

A Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB) ainda não resolveu a situação dos 37 funcionários demitidos, incluindo gestantes. Após uma audiência, o processo seguiu para conciliação, mas o imóvel disponibilizado para quitar o passivo trabalhista pode não ser suficiente.

Outra boa notícia

As mais de 121 mil novas vagas de trabalho criadas em agosto foi o melhor resultado para o mês nos últimos seis anos. Entre janeiro e agosto deste ano, 593.467 pessoas voltaram ao mercado de trabalho.

Gastando saliva

Além do encontro do Grupo de Lima com Donald Trump, o ministro Ernesto Araújo manteve agenda intensa em Nova York, nesta quarta, com quatro chanceleres de peso: Alemanha, Espanha, Irlanda e República Tcheca e a Comissária de Comércio da União Europeia.

Mundo real

Longe das redes sociais, pesquisa CNI/Ibope confirma que quem acha o governo Bolsonaro ótimo ou bom (31%) e os que avaliam o governo como ruim ou péssimo (34%) estão empatados na margem de erro.

Simplificação

A Carteira de Trabalho Digital apresentada pelo governo federal deve simplificar as contratações, que passam a ser feitas em sistema só com o CPF do empregado, e dar mais fidelidade aos dados sobre emprego.

Pensando bem…

…se Macron quer tanto atuar na Amazônia, que vá para a Guiana Francesa.