Cruzeiro encaminha renovação de contrato com Egídio e Henrique

0
215
FOTO:Divulgação

Depois de renovar com o goleiro Fábio, o Cruzeiro encaminhou, também, a permanência do lateral-esquerdo Egídio e do volante Henrique. Os dois têm contrato até fim dezembro deste ano e devem acertar a renovação até o fim de 2020. O clube deve oficializar o acerto com os jogadores nos próximos dias.

Titulares no título da Copa do Brasil no ano passado, Egídio e Henrique iniciam a atual temporada na mesma condição. O lateral-esquerdo atuou em sete partidas, enquanto o volante entrou em campo seis vezes em 2019.

Henrique chegou ao Cruzeiro em 2008, com aval do então treinador Adilson Batista. Foi negociado com o Santos em 2011. Dois anos depois, retornou à Toca da Raposa. Pelo clube, conquistou cinco vezes o Mineiro (2008, 2009, 2011, 2014 e 2018), duas vezes o Brasileirão (2013 e 2014) e duas vezes a Copa do Brasil (2017 e 2018). O volante – e atual capitão – acumula 462 jogos pelo Cruzeiro, sendo o 9º no ranking dos jogadores que mais entraram em campo com a camisa celeste.

Egídio não tem tantos jogos quanto Henrique, mas acumula trajetória vitoriosa no Cruzeiro. Chegou ao clube em 2013, foi bicampeão brasileiro e saiu para a Ucrânia, no fim de 2014. No ano seguinte, foi contratado pelo Palmeiras, onde ficou até o fim de 2016. Retornou no passado, onde ergueu os troféus do Mineiro e da Copa do Brasil. O lateral acumula 168 partidas com a camisa estrelada.

Com a renovação dos dois encaminhada, apenas Robinho e Rafinha têm contratos próximos de encerrar. Ambos têm vínculo com a Raposa até o fim deste ano.

REFORÇOS

O Cruzeiro busca um atacante velocista ainda para a temporada. Um dos nomes estudados é Everaldo, do Fluminense, que só deverá ter uma situação mais definida após o Campeonato Carioca. O técnico Mano Menezes analisou a situação de mercado e as opções existentes atualmente, citando as dificuldades que todos os clubes enfrentam.

– O Cruzeiro sempre tem que estar atento ao mercado, isso é obrigação de um clube grande, do nosso porte. Isso acontece sempre, não só da parte técnica, como também da parte diretiva. Temos que encontrar o jogador certo, a possibilidade certa, com condição e probabilidade de parte do mercado. Jogador para estar aqui tem que trazer consigo algum nível de capacidade. Para chegar e ser acréscimo, precisa desse alto nível. Este alto nível custa caríssimo, porque está cada vez mais raro de encontrar, e os que tem não liberam. Está mais difícil de encontrar. Quem tem, não libera.

De atacante velocista, o Cruzeiro só conta, atualmente, com David, que está se recuperando de um edema na coxa esquerda e talvez não esteja pronto para a partida contra o Huracán, em 7 de março, na Argentina. Marquinhos Gabriel – atual titular-, Rafinha e Renato Kayzer também podem atuar pelos lados.

Enquanto não encontra uma alternativa de mercado para o setor, Mano Menezes considera que o clube tem alternativas de jogo para superar este tipo de situação. Mas, para ele, o Cruzeiro não perdeu velocidade de 2018 para cá, citando que o único que saiu foi Arrascaeta e, para ele, não tinha a velocidade como uma das virtudes.

– Temos que encontrar soluções, não adianta chorar. Se não temos velocidade de deslocamento, temos que encontrar velocidade de passe, de jogo, temos que ter mais entrosamento, temos que entender que time temos, as características dos jogadores que temos, para usar essas características. Acho que o Cruzeiro não perdeu muita velocidade para cá. Qual foi o jogador que perdemos para o time titular? Arrascaeta, que não era considerado um velocista.

Para a partida contra o Huracán, Mano não tem muitas dúvidas para escalar o Cruzeiro do meio para frente. Ele não tem Thiago Neves. Por isso, a parte ofensiva deve ser formada por Robinho, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel, com Fred mais à frente.