Bombeiros entregam certificados para os novos guarda-vidas

0
293
O curso de guarda-vidas teve duração de 60 horas e formou nove novos profissionais, agora preparados para atuar em clubes da cidade.Foto Corpo de Bombeiros

Curso é voltado para habilitar profissionais em ocorrências de salvamento aquático, principalmente em clubes da cidade

Com foco na prevenção contra os afogamentos, frequentes nesta época do ano, o Corpo de Bombeiros Militar de Valadares promoveu, entre os dias 8 e 15 de dezembro, o primeiro curso de guarda-vidas civil na cidade. O treinamento teve duração de 60 horas e formou nove guarda-vidas, agora preparados para atuar em clubes da cidade. O curso foi solicitado pelo Sesc de Valadares e aberto aos demais clubes, para que os profissionais tivessem a certificação para exercer legalmente a profissão. Na sexta-feira, 18, foi realizada a solenidade de entrega dos certificados dos novos guarda-vidas.

O curso seguiu a portaria 33/2018 do Corpo de Bombeiros, que visa regularizar e padronizar as atividades de guarda-vidas e também de brigadistas na cidade. Segundo o comandante do 6º Batalhão de Bombeiros, major Luciano Barbosa de Souza, a partir de agora a fiscalização dos clubes e dos profissionais será mais rigorosa. Os clubes que não estiverem devidamente credenciados estarão passivos de sanções, já que existe uma lei municipal que obriga os clubes da cidade a contarem com a presença de guarda-vidas nas suas dependências.

“Em Valadares temos uma lei municipal que exige a presença do guarda-vidas nos clubes recreativos. Agora, com a portaria 33 do Corpo de Bombeiros, esse profissional tem que ser certificado e credenciado pela corporação. Essa certificação vale por dois anos. Após o vencimento, o profissional tem que requerer a renovação e, para isso, fazer um curso de reciclagem. Esse primeiro curso foi solicitado pelo Sesc, com convite extensivo a todos os clubes de Valadares, mas, infelizmente, somente o Sesc e o Filadélfia participaram”.

Importância

A supervisora dos serviços sociais do Sesc, Gracielle Shueng, explica que a instituição percebeu a necessidade de capacitar os profissionais e, ao conversar com os bombeiros, resolveu abrir o curso para todos os clubes da cidade, mas lamenta a pouca adesão. “Prezamos pela qualidade dos nossos serviços, e qualificar um profissional é muito importante para atender à população da melhor maneira possível, dentro dos procedimentos adequados, cuidando realmente da vida das pessoas que estão desfrutando do lazer. Isso não tem preço. Uma pena todos os clubes da cidade não terem participado”.

O diretor de esportes do Filadélfia, Silmar Miranda, não pensou duas vezes em qualificar os profissionais do clube. “Mandamos dois colaboradores para fazerem o curso. Essa parceria entre o Corpo de Bombeiros e os clubes foi uma iniciativa muito importante, já que nosso objetivo principal é prezar pela vida dos nossos associados, sócios e convidados”.

A formação de um guarda-vidas deve ser completa. O profissional deve nadar bem, ter conhecimento das técnicas de respiração e massagem cardíaca, cuidados com o banhista e agilidade nas ações de prevenção e salvamento, onde segundos tornam-se preciosos.

O curso, que formou novos guarda-vidas para atuarem nos clubes da cidade, trouxe satisfação para os participantes. O guarda-vidas Leonardo Gomes acredita que é fundamental ter a presença de um profissional atuando nos clubes. “Estamos ali para prevenir acidentes, para orientar os banhistas, principalmente as crianças, e ensinar como utilizar a piscina de forma segura. O guarda-vidas tem o papel de prevenir acidentes, e se porventura vier a acontecer qualquer tipo de situação, ele está treinado, preparado pelo Corpo de Bombeiros”.

Márcio Ernani da Costa vê sua capacitação como uma forma de cuidar das pessoas e sente orgulho disso. “Saber que você é um profissional, que pode fazer a diferença na vida das pessoas na hora de uma possível tragédia, é muito gratificante. Sinto-me orgulhoso em fazer parte da turma de guarda-vidas da cidade. Agradeço a todos”.

O curso de guarda-vidas não é restrito aos homens. Mas Fabiana Cristina da Silva foi a única mulher a participar. “Fiquei muito feliz em saber que ia me capacitar, e quando descobri que eu era a única mulher, foi muito legal. Essa iniciativa dos clubes, em promover o colaborador para estar apto a servir as pessoas, é maravilhosa. Aprendi muito no curso e quero deixar meu agradecimento aos meus colegas e aos profissionais do Corpo de Bombeiros.

O curso ministrado pelos bombeiros militares foi gratuito. Os interessados em saber detalhes sobre o curso podem acessar o site www.bombeiros.com.br e pesquisar a portaria 33.

Números de afogamentos na cidade cresce desde o início do verão

Em 2018 foram registrados pelo Corpo de Bombeiros 24 ocorrências de afogamentos na cidade. Desde que o verão começou, no dia 21 de dezembro de 2018, até agora as ocorrências de afogamento vêm aumentando. Esses atendimentos refletem o descuido de muitas pessoas.

No dia 26 de dezembro uma ocorrência que levou apenas 10 minutos teve um desfecho surpreendente para uma criança que se afogou em uma casa de eventos na Ilha dos Araújos. No local não havia guarda-vidas. Chegando ao local, os bombeiros encontraram uma menina de cinco anos desacordada. Eles imediatamente fizeram os procedimentos para tentar reanimá-la e tiveram sucesso.

Dois homens que se afogaram nos dias 22 e 23 de dezembro não tiveram a mesma sorte. Lucas Huebra Fagundes, 20 anos, estava com a família tomando banho no rio Doce, quando resolveu subir em uma árvore e pular no rio. Já Leandro Miranda de Almeida, 33 anos, estava pilotando um jet ski quando perdeu o controle do equipamento, caiu na água e não apareceu mais. O corpo foi resgatado pelos bombeiros.

Só este mês já foram registrados na cidade quatro afogamentos. O major Luciano frisa a importância do cuidado ao frequentar esses lugares de banho. “Percebemos que a maior causa dos afogamentos é não respeitar normas. Quem for usar rios, lagos e piscinas para a diversão tem que ter no mínimo um preparo com relação a saber nadar. As crianças e adolescentes são uma preocupação a mais. Os pais são responsáveis por elas e não podem nunca deixá-las sozinhas; têm que ter uma atenção maior. Já os adultos devem estar cientes de que devem nadar somente em locais conhecidos, e ter muito cuidado com rios e lagos. A diversão não combina com acidente. Temos que nos divertir com segurança. Em qualquer situação, é só chamar 193, que estamos à disposição”.

por Angélica Lauriano | angelica.lauriano@drd.com.br