Grave acidente de ônibus que seguia para Valadares deixa quatro mortos e nove feridos

Quatro pessoas morreram e nove ficaram feridas no acidente ocorrido neste domingo.Foto: Divulgação

Um ônibus com 25 passageiros que seguia de Campos dos Goytacazes (RJ) para Governador Valadares caiu em uma ribanceira na tarde de domingo (10), ao colidir contra um carro às margens da RJ-220, na altura de Natividade, município que fica a noroeste do estado do Rio de Janeiro. Ao todo, quatro pessoas morreram e nove seguem hospitalizadas. De acordo com a empresa de ônibus 1001, não há valadarense entre as vítimas.

Informações colhidas pela equipe de jornalismo da “Rádio Natividade”, da cidade do mesmo nome, dão conta de que o ônibus, que havia saído de Campos dos Goytacazes e seguia para Valadares, na altura do Parque Lajinha, chocou-se contra um carro que trafegava em sentido contrário. Ele saiu da pista e despencou em uma ribanceira com cerca de 50 metros, indo parar dentro de um riacho, no quintal de uma casa. Chovia muito no momento do acidente, cujas causas ainda são desconhecidas. O condutor do automóvel ficou preso nas ferragens. Depois de removido pelos bombeiros, ele foi levado consciente ao Hospital São José do Avaí, em Itaperuna (RJ). No ônibus estariam cerca de 25 pessoas, inclusive crianças.

Segundo informações do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPR), três pessoas mortas foram identificadas. As vítimas são Atair de Souza Rangel, 68 anos, natural de Divino (MG); Alef Carvalho de Oliveira, 25 anos, natural de Tombos (MG); e Renata Barreto Barros, 47 anos, de Coronel Fabriciano (MG). A outra mulher ainda não teve a identidade revelada.

Procurada pelo DIÁRIO DO RIO DOCE no meio da tarde de ontem (11) , a Viação 1001 informou que não havia passageiros de Valadares dentro do ônibus, somente de Coronel Fabriciano e Caratinga. A empresa informou ainda, por meio de nota, que está prestando atendimento às vítimas e familiares e está à disposição das autoridades para auxiliar nas investigações. Até o momento, nove pessoas continuam hospitalizadas.