Bom Samaritano instala ressonância magnética para atendimento pelo SUS

FOTO: Ilustrativa/Divulgação

A Beneficência Social Bom Samaritano (BSBS) vai conseguir finalizar os diagnósticos de quem luta contra o câncer de forma mais precisa. Agora o hospital conta com equipamento próprio de ressonância magnética, que já chegou a Governador Valadares e está sendo instalado, desde segunda-feira, 25, na Clínica Bom Samaritano, no centro de Valadares.

Antes, para realizar esse atendimento, o Hospital Bom Samaritano (HBS), por não ter o aparelho, bancava o exame para os pacientes do SUS em empresas terceirizadas, o que gerava um alto custo, além de uma burocratização no processo. Só para se ter uma ideia, o exame custa R$ 450,00, o governo reembolsa ao hospital R$ 268,75, ficando a cargo da unidade de saúde um complemento de R$ 181,25. Somente em 2018 foram ofertadas 291 ressonâncias a pacientes SUS, ficando o custo de R$ 52.743,75 por conta da BSBS.

Para resolver esse entrave, o HBS apresentou um projeto de captação de recursos junto à iniciativa privada, por meio do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon). Com a aprovação do projeto, houve um esforço da gestão com a finalidade de conseguir a adesão de empresas espalhadas pelo Brasil que têm como política financiar projetos de grande alcance social, interessadas em destinar parte do valor do imposto de renda para projetos sociais.

Através de articulação, as empresas Alupar, Ambev, Cemig, Cielo, Grupo Zaffari, Itaú, Loja Elétrica, Lojas Renner, Taesa, Tambasa, Vallourec e Zema fizeram a renúncia fiscal, beneficiando o hospital. No total, foram captados R$ 3.857.305,00 (três milhões, oitocentos e cinquenta e sete mil e trezentos e cinco reais), valor exato para a compra do equipamento.

Para o superintendente do HBS, Elvis Andrade, a aquisição do equipamento de ressonância se deve à alta capacidade técnica da equipe do hospital, que elaborou o projeto, aprovado pelo Ministério da Saúde. “Hoje o Hospital Bom Samaritano é uma referência no tratamento de câncer. Com essa conquista, vamos conseguir desenvolver um trabalho ainda melhor para a comunidade”, comemora Andrade.

Como funciona o Pronon?

O Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon) foi instituído nos termos da Lei nº 12.715/2012, e tem por finalidade captar e canalizar recursos para a prevenção e o combate ao câncer.

As entidades sem fins lucrativos se credenciam junto ao Ministério da Saúde e apresentam projetos de ações de prevenção e combate ao câncer. Após aprovação do projeto, as instituições estão aptas a captar recursos de doações junto a empresas ou pessoas físicas para o desenvolvimento das ações. Assim, os doadores podem deduzir, com relação ao Pronon, até 1% do imposto de renda devido.

O Hospital Bom Samaritano foi credenciado no Pronon através da Portaria nº 938, publicada no dia 24 de outubro de 2014, no Diário Oficial da União, de acordo com a Lei Federal nº 12.715.

Combate ao câncer

Atualmente, o HBS é a única instituição a prestar à população de Governador Valadares e mais 92 municípios da região o tratamento do câncer pelo SUS. Em 2018 foram realizados 86.633 atendimentos aos usuários que dependem do tratamento. Foram 1.093 atendimentos de suporte clínico, 12.534 consultas, 58.709 sessões de radioterapia e 14.297 de quimioterapia.