“O primeiro que vai é o nosso presidente Rodrigo Maia”

FOTO: Divulgação

Deputado Carlos Gaguim (DEM-TO), em sincericídio sobre a prisão após 2ª instância

Bivar reage a Bolsonaro discutindo fusão com PL

O deputado Luciano Bivar (PE), presidente nacional do PSL, teve uma longa conversa nesta terça-feira (12) discutindo a possibilidade de fusão com outro empresário do ramo, ex-deputado Valdemar Costa Neto (SP), dono do Partido Liberal (PL). Eles almoçaram nesta terça no restaurante Norton, em Brasília, a poucos metros das sedes de ambos os partidos. Bivar também tem conversado sobre fusão com o DEM, na busca de alianças para reagir à desfiliação do presidente Jair Bolsonaro.

Uma briga por dinheiro

O Fundo Partidário e o Fundo Eleitoral, que vão render R$ 359 milhões ao PSL em 2020, estão na origem da briga de Bolsonaro com o partido.

Grana, o xis da questão

Têm sido complicadas as negociações de fusão, sobretudo quanto ao rateio dos recursos milionários dos Fundos Partidário e Eleitoral.

Debandada ameaçadora

O temor de Bivar é que o PSL sofra uma debandada, com a saída do presidente Jair Bolsonaro, e diminua muito de tamanho.

Assistindo de camarote

Por enquanto, Bivar e seus interlocutores preferem contar primeiro os deputados que estarão com Jair Bolsonaro na criação do novo partido.

MP do DPVAT acaba ‘cartório’, mas afeta o SUS

É correta a medida provisória do presidente Jair Bolsonaro extinguindo o seguro obrigatório DPVAT, porque acaba um “cartório” bilionário criado à sombra do poder político no Brasil. Apenas um punhado de seguradoras gerencia arrecadação de quase R$ 9 bilhões. O problema é que a extinção deixa ao Deus-dará a maioria pobre dos acidentados, de atropelados a motoboys. A advertência é do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), preocupados com os prejuízos ao SUS.

Verba importante

Dos quase R$ 9 bilhões que as seguradoras faturam com DPVAT ao ano, R$ 4,2 bilhões (45%) seriam destinados ao ressarcimento do SUS.

Sobra para o Base

Somente entre janeiro e junho deste ano, 1.393 feridos em acidentes de trânsito foram atendidos pelo Hospital de Base de Brasília.

Outra briga pessoal

A extinção do DPVAT não é saneadora: Bolsonaro apenas pretendeu atingir o presidente do PSL, Luciano Bivar, empresário do setor.

Faltam explicações

O distinto público pede explicações ao deputado Carlos Gaguim (TO), para quem a prisão após condenação em 2ª instância ameaça o presidente da Câmara, e o próprio Rodrigo Maia e seus sinais de má vontade em relação ao tema e ao Pacote Anticrime de Sérgio Moro.

Mais um foragido

Asilado no México, o ex-presidente Evo Morales espera ficar fora do alcance da justiça da Bolívia, nos muitos processos por corrupção e também, claro, por fraudar a eleição para se manter no cargo.

Diga ao povo que fico

A assessoria do governador do Mato Grosso do Sul Reinaldo Azambuja (PSDB) diz que ele “nunca pensou ou aventou possibilidade de deixar o cargo”. Azambuja se vê alvo do “denuncismo” contra a classe política.

Ele é sabido

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, agora fala em “assembleia constituinte”, mas tudo não passa de manobra para travar a votação de projeto que estabelece prisão após condenação em segunda instância.

E a gente só pagando…

A Câmara foi a última a se juntar a Senado, ao Judiciário e Executivo no feriadaço de quase uma semana. A alegria de parlamentares ontem foi insólita. Muitos bateram o ponto sem terno e com mala na mão.

Chuva no molhado

O senador Lasier Martins (Pode-RS) quer chamar atenção para seu projeto que altera o Código de Processo Penal e permite prisão em 2ª instância. O colega Jorge Kajuru (Cida-GO) apresentou projeto idêntico.

Boa Vista de Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, tem 70,2% de aprovação entre os eleitores de Boa Vista (RR), segundo o Paraná Pesquisas. O levantamento revela que 55,4% avaliam o governo como bom ou ótimo. A prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (MDB), tem 84,1% de aprovação.

Brasil-África sustentável

No Fórum Brasil África 2019, em São Paulo, o vice-presidente Hamilton Mourão enfatizou laços entre o Brasil e os países africanos, e defendeu o “desenvolvimento de forma sustentada e vantajosa para todos”.

Pergunta em pânico

Se a Constituinte de 1988 cometeu erros, uma nova Constituinte na era pós-Lava Jato vai fazer o quê?