“Aí não perde voto nenhum”

FOTO: Divulgação

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e a importância de “votos de governadores” na reforma

 

Bolsonaro precisa punir general ou brigadeiro

Militares graduados buscam apoio da área política do Planalto para convencer o presidente Jair Bolsonaro a demitir autoridade de alto nível, como o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Antônio Carlos Bermudez, para ajudar o Brasil a enfrentar e reverter o constrangimento internacional provocado pelo sargento que usou um avião da FAB, envolvido em viagem presidencial, para traficar cocaína.

Demissão de general

“O caso do sargento traficante só se resolve com demissão de general”, recomenda um experiente especialista em debelar crises.

Presidente desprotegido

A agência de arapongagem Abin e o próprio Gabinete de Segurança Institucional (GSI) têm sido criticados pelo descuido de segurança.

Ninguém assume

O GSI empurrou para o “gabinete pessoal” de Bolsonaro a organização de viagens. O Planalto não cita nomes: “trabalho de ‘várias mãos'”.

E se fosse um Adélio?

O temor em relação à segurança do presidente aumentou, após o acesso de traficante a um avião envolvido em viagem presidencial.

Para os brasileiros, economia continua na mesma

Levantamento exclusivo do instituto Paraná Pesquisa para o site Diário do Poder e esta coluna mostra que a percepção do brasileiro sobre sua situação econômica familiar “não melhorou, nem piorou”. A maioria dos entrevistados (54,1%) acredita que nos últimos seis meses nada mudou. São 11,7% aqueles que acreditam que a situação ficou melhor, para 10,7% “melhorou” e só 1% diz que “melhorou muito”. Foram ouvidos 2.102 brasileiros em 158 municípios, entre os dias 20 e 25 deste mês.

Piorou para um terço

Para 31%, a situação econômica se degradou: piorou, segundo entendem 22,9% dos entrevistados, e “piorou muito” para 8,1%.

Quem trabalha está feliz

O grupo pesquisado mais otimista está na População Economicamente Ativa: 13,3% acreditam que melhorou a situação econômica em casa.

Quem segura o tranco

Os menos satisfeitos (34,7%) com a economia, nos primeiros 180 dias de Bolsonaro, têm entre 45 e 59 anos.

Ninguém merece

Deputados federais já nos fizeram ressarcir-lhes R$64 milhões este ano em despesas pessoais. Foram R$13,8 milhões em passagens aéreas e R$14,6 milhões em propaganda. Resta-nos o direito de pagar.

Propina em espécie

Intriga muita gente o fato de o sargento traficante Manoel Silva Rodrigues carregar em sua bolsa de mão 39kg de cocaína. Por que não 40kg? A aposta é que ele usou 1kg para comprar facilidades.

Comparação

Bolsonaro completa 180 dias de governo neste domingo. Foram três ministros demitidos. Dilma demitiu um no primeiro semestre e sete até o fim do seu primeiro ano de governo; e fez 86 trocas até cair, em 2016.

Os intocáveis

Mestre em Direitos Fundamentais, Cássio Faeddo faz uma bela analogia da atuação de Sérgio Moro e da força-tarefa da Lava Jato com o trabalho de Eliot Ness e “Os Intocáveis” para prender Al Capone. “O sistema de corrupção revelou-se imenso, ramificado e complexo”, diz.

Botando pressão

Segundo o porta-voz da presidência da República, Otávio Rêgo Barros, tanto o governo dos EUA quanto o brasileiro compreendem que “é por meio da pressão econômica” que haverá mudanças na Venezuela.

Sem controvérsias

A CPI do BNDES pode promover uma acareação entre Antonio Palocci e Paulo Bernardo, além de Marcelo Odebrecht. Autor da proposta, José Nelto (GO), líder do Podemos, quer “elucidar controvérsias” na CPI.

Ditadura insepulta

Após decisão contrária da Corte Suprema da Espanha, o governo socialista anunciou que ainda está “confiante” na possibilidade de exumar o corpo do ditador Generalíssimo Francisco Franco.

É o que falta

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em 2019 foram criados 351.063 postos de trabalho com carteira assinada e nos últimos 12 meses o total é de 474.299 vagas.

Pensando bem…

…com a bolinha que estão jogando, Brasil x Argentina está longe de ser uma final antecipada.