“VITIMICE”

0
196

O que é a “VITIMICE”?

É a postura de vítima, é quando o indivíduo se sente inferior a quase tudo, é a pessoa que se sente esmagada pelo mundo, é aquela pessoa que se acostumou a ver só os aspectos negativos de tudo. Ela sempre sabe o que não deve, o que não pode, o que não dá certo. Ela consegue ver apenas o lado escuro de tudo, e também vive transferindo os seus problemas para os outros. Não assume a sua responsabilidade na vida, culpa os outros pelo que está acontecendo em sua vida, justificando-se o tempo todo. E justificar-se o tempo todo é um sinal de que não quer mudar. Para não assumir os erros, justifica-se. É mais fácil justificar/ação do que ter ação.

Enquanto colocarmos a responsabilidade total dos nossos problemas em outras pessoas, ou em acontecimentos, tiraremos de nós mesmos a possibilidade de crescimento. Enquanto não percebemos que somos os únicos responsáveis pela nossa própria vida, e ficarmos condicionando nossa felicidade aos outros, continuaremos a nos sentir infelizes e sofredores.

A vítima é a pessoa que transformou sua vida numa grande lament/ação. Seu modo de agir é sempre de forma queixosa, mas cômoda, por isso não faz algo para resolver seus problemas. A vítima usa o próprio sofrimento para controlar os sentimentos dos outros; ela se coloca como dominada, como fraca, para dó/minar o sentimento das outras pessoas.

Algumas vítimas sofrem de uma doença chamada de perfeccionismo, que é a não aceitação de erro, de ser humano falível. Ela se tortura com a ideia de ser perfeita, com a imagem de como ela deveria ser e também de como as outras pessoas deveriam ser. Existe na vítima uma tentativa de enquadrar o mundo num modelo ideal que ela própria criou para evitar entrar em contato com a realidade, que é dura. A vítima não se relaciona com as pessoas aceitando-as como são, mas, sim, da maneira que ela gostaria que elas fossem. A fantasia da vítima é querer mudar o mundo inteiro para poder ser feliz. No entanto, esquece que todos nós temos parte de responsabilidade no que está acontecendo. Atribuir aos outros, ao mundo, a causa dos problemas é o mais comum na postura de vítima.

A vítima transforma as dificuldades em conflitos sem solução.

Ser vítima é querer fugir da realidade, do erro, da imperfeição, dos limites humanos.

A vítima é uma pessoa orgulhosa que veste uma capa de humildade. O orgulho dela vem de acreditar que ela é perfeita e que os outros não são.

A vítima é uma pessoa que sofre e faz os outros sofrerem com o sofrimento dela. É a pessoa que usa suas dificuldades físicas, afetivas, financeiras etc. para não crescer e, sim, fazer chantagem emocional com as outras pessoas.

A vítima não se perdoa por não ser perfeita e transforma o sofrimento num modo de ser, num modo de se relacionar.

Viver é difícil e carece de muita coragem, já dizia Guimarães Rosa. Viver é resolver problemas, e para cada problema existe uma solução, porque um problema sem solução é um problema falso ou resolvido. Às vezes preferimos ficar com os problemas falsos para evitar a solução dos problemas verdadeiros.

Um hábito preferido pela vítima é o passado. Atribuir ao passado a responsabilidade pelo que nos está ocorrendo no presente: SE tivéssemos feito…, SE nossos pais não fossem…, SE nossa infância não tivesse sido como foi…, SE não tivéssemos perdido aquela oportunidade… Esse hábito do SE é paralisante.

A vida é o aqui e o agora. Não devemos substituir o nosso presente pelas PRÉ/ocupações com o futuro e nem substituir o momento presente pelas lembranças do passado. O passado deve ter, sim, um significado em nossa vida, mas somente como aprendizado, como referência para o nosso presente, e não como determinante da vida hoje. Devemos nos lembrar da fala de um grande papa, João XXIII: “AO PASSADO PERDÃO, AO PRESENTE AÇÃO E AO FUTURO ESPERANÇA”. E eu diria: ao passado perdão e aprendizado, ao presente ação e mudança e ao futuro esperança.

Produção: Sérgio Fonseca