Valadares vai se transformar em um centro logístico no corredor de exportação de Minas ao Espírito Santo

0
533
Prospecção de como vai ficar a obra depois de concluída. FOTOS: Divulgação PetroCity

Mais de 400 pessoas estão sendo esperadas no seminário que a Petrocity Portos S.A. apresentará nesta terça-feira (16 de abril), em Governador Valadares, para apresentar tanto o projeto do Centro Portuário de São Mateus, a ser construído em Urussuquara, quanto a nova Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo, que ligará Sete Lagoas (MG), a Norte de Belo Horizonte, ao novo porto, o único da região Sudeste dentro da área de incentivos da Sudene. O evento será realizado às 18 horas, no Parque de Exposições da cidade mineira, no portão 14.

Há duas semanas, o presidente da Petrocity Portos, José Roberto Barbosa da Silva, foi a Brasília protocolar, junto ao Ministério de Infraestrutura, o pedido de concessão da nova ferrovia, em traçado a ser definido pela companhia, oferecendo uma nova opção de logística para escoamento da produção da região Central do País, bem como para a interiorização de produtos de importação.

“Pedimos a concessão enquanto aguardamos o Congresso votar a PEC do senador José Serra estabelecendo novo regime no setor ferroviário. Se a PEC passar, empreendedores interessados em construir ferrovias precisarão apenas de uma autorização. Isso significa que a ferrovia autorizada será de propriedade privada, e não do Governo. É nisso também que estamos apostando, mas temos que nos antecipar no regime atual, e por isso solicitamos a concessão”, disse José Roberto.

A iniciativa de apresentar os dois projetos em Governador Valadares, com o apoio da Prefeitura Municipal, decorre do grande interesse que passou a ser demonstrado pelas lideranças mineiras, desde que uma representação de cerca de 30 líderes, entre deputados estaduais, federais, prefeitos, vereadores e empresários, participou da solenidade de assinatura de contratos para a construção do porto, em janeiro, no Palácio Anchieta – sede do Executivo do Espírito Santo.

FOTOS: Divulgação PetroCity

Na ocasião, o governador Renato Casagrande (PSB) também assinou um documento de entendimento com a Petrocity e manifestou seu apoio ao projeto, ressaltando sua vantagem competitiva e sua importância para o desenvolvimento não apenas do Norte-Noroeste capixaba, mas também com forte impacto sobre o Sul da Bahia e Leste de Minas Gerais.

“O projeto do Centro Portuário de São Mateus foi desenvolvido dentro de conceitos inteligentes de movimentação, integração e transbordo de cargas, objetivando redução de custos, segurança e dinâmica no transporte de cargas. A Estrada de Ferro Minas-Espírito Santo será uma ferrovia moderna, com um traçado alternativo que interligará Sete Lagoas a São Mateus. Essa plataforma logística, que une os dois projetos com unidades de transbordo (UTACs) ao longo do trecho, garantirá a integração dos modais rodoviário e ferroviário de transporte, com o transbordo marítimo, de curto e longo percurso”, disse José Roberto.

Segundo Jackson Lemos, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Governador Valadares, com a construção da nova estrada de ferro e desse intermodal, a cidade passa a fazer parte de um corredor de exportação, tornando-se um centro logístico capaz de receber cargas dos quatro cantos do país, pela localização. “Esse é um projeto que vem coroar a capacidade que acreditamos que temos. Nós não escolhemos, fomos escolhidos pela Petrocity, pela nossa posição logística, e vamos, com isso, começar a nossa caminhada de fortalecimento da nossa posição aérea, rodoviária e agora ferroviária. A Petrocity vem concretizar o que nós já sabíamos, e nós estamos de portas abertas para recebê-la e para ajudar no que for preciso”, afirma Lemos, apoiado pelo prefeito André Merlo, em favor do crescimento e do desenvolvimento da cidade.

O início da construção do porto, segundo o CEO da Petrocity, depende apenas da finalização do processo de licenciamento ambiental, que tramita no Instituto de Meio Ambiente do Espírito Santo (IEMA). “Esta semana terminamos de entregar todas as informações complementares solicitadas pelo IEMA. Agora, não há mais nenhuma pendência de informação e aguardamos, ansiosos, a licença ambiental para que também seja expedida a licença de instalação”, disse José Roberto.

O assunto Petrocity, de acordo com Barbosa, tem monopolizado a região, como tem sido demonstrado pelos prefeitos e lideranças empresariais não apenas de São Mateus, mas também dos arredores. Na região Noroeste, a expectativa é não apenas pelo porto, mas também pela ferrovia, para escoamento da produção de granito (o Espírito Santo hoje responde com mais de 50% da produção nacional de rochas ornamentais).