Valadares fecha mês de março com saldo negativo na geração de empregos

0
394
FOTO:Divulgação.

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou os dados da última pesquisa mensal de Evolução do Emprego, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Governador Valadares ficou na 48ª posição entre as 110 cidades de Minas Gerais com mais de 30 mil habitantes, acumulando mais um mês negativo na geração de empregos. No total, foram 1.495 contratações e 1.770 demissões, fechando com déficit de 275 vagas de trabalho, queda de 0,57% na geração formal de empregos.

Para fazer o levantamento, o Caged considera o número de contratações e o de demissões no período analisado. Caso o número de contratações seja maior do que o de demissões, o saldo é positivo. Caso o número de demissões ultrapasse o de admissões, o saldo é negativo.

De acordo com o levantamento, apenas o setor de extrativismo mineral fechou o mês de março com saldo positivo na geração de empregos no município. Foram sete admissões e dois desligamentos, saldo de cinco vagas. O pior setor foi o agropecuário, que gerou 30 postos de trabalho, mas demitiu 55, saldo negativo de 22 vagas. Já o setor de serviços, responsável pela maior parte das contratações, fechou o mês com 726 contratações, contra 769 demissões, um déficit de 43 vagas de emprego. O setor de comércio também teve queda. Foram 499 admissões, contra 613 desligamentos, saldo negativo de 114 vagas. A construção civil também não vive em boa fase: 111 contratados perante 119 desligados, fechando o mês de março com menos oito vagas. O setor da indústria de transformação admitiu 122 pessoas e demitiu 215, déficit de 93 postos de trabalho. Os setores de serviços de utilidade pública e administração pública mantiveram o número de cargos.

No ranking na geração de empregos na região do Vale do Rio Doce no ano de 2019, Governador Valadares não foi a única cidade a ter queda na geração de empregos. No entanto, ficou atrás de cidades como Ipatinga, que teve queda de 90 vagas, de Timóteo, com três vagas, de Guanhães, que terminou o ano com 26 postos de trabalho, e Coronel Fabriciano, com 19 vagas.

Brasil

Em todo o país foram fechadas 43.196 vagas de empregos formais com carteira assinada no mês de março. O saldo é a diferença entre as contratações (1.216.177) e as demissões (1.304.373) no período. Esse foi o primeiro resultado negativo em três meses. A última vez que o Brasil havia registrado demissões foi em dezembro do ano passado, com o fechamento de 341.621 postos com carteira assinada.

Este também foi o pior saldo para meses de março desde 2017, quando 62.624 trabalhadores foram demitidos. No mesmo mês do ano passado foram registradas 56.151 contratações. Segundo os dados do Caged, Minas Gerais foi um dos poucos estados com resultado positivo no país, com alta de 0,13% no emprego formal e geração de 5.163 vagas de emprego.

por Eduardo Lima | eduardolima.drd@gmail.com