Valadarense acusado de matar esposa abre mão do direito de tentar pedir fiança

Emerson Figueiredo preferiu não comparecer à audiência com um juiz na Corte Superior em Concord

Na segunda-feira, 29, Emerson Figueiredo, 42 anos, acusado de matar a esposa, Nathália Paixão, 35 anos, preferiu não comparecer à audiência com um juiz na Corte Superior em Concord. Ele abriu mão do direito de tentar pedir fiança para acompanhar o processo em liberdade e continua preso. A Justiça de New Hampshire apontou dois advogados públicos para defendê-lo.

Amigos de Nathália nos Estados Unidos criaram uma campanha no GoFundMe para arrecadar fundos para ajudar os dois filhos do casal, de 10 e 13 anos, que perderam a mãe e não vão poder mais contar com o pai, que pode passar o resto da vida na cadeia.

Mãe de Emerson pede perdão à mãe de Nathália

De acordo com uma pessoa em Valadares, que não quis ser identificada, a mãe de Emerson teria ligado para mãe de Nathália para pedir perdão pelo que o filho teria feito. “Ela disse que não imaginava que Emerson faria isso, pois ele amava Nathália e sempre foi um ótimo filho, ótimo marido e pai”, disse.

Ainda segundo essa pessoa, a mãe de Nathália respondeu dizendo que não precisava pedir desculpas e que ela gosta muito de Emerson, sempre gostou. Ele sempre tratou todos muito bem. A mãe da vítima teria dito ainda que sabia que a família Emerson não tinha culpa. “As duas famílias estão muito abaladas. Não esperavam isso de Emerson, porque ele não era agressivo”, disse a fonte, que falou sob condição de anonimato.

Motivação

São muitas as especulações sobre o que teria levado o casal a se desentender no domingo, 28, afinal, era uma família amada na comunidade, membros da Igreja El Shekinah, em Nashua. Dentro da comunidade nos EUA, a versão mais aproximada para a motivação do crime é de crime passional, motivado por ciúmes. A fonte confirma que, “desde que Nathália fez implante de silicone nos seios, o ciúme de Emerson aumentou muito e esse poderia ser um dos motivos que o levou a cometer o crime”.

Uma outra pessoa, que mora nos Estados Unidos e frequenta a mesma igreja que o casal frequentava, contou ao DIÁRIO DO RIO DOCE que o casal vinha brigando por causa de dinheiro, já que Nathália sempre foi vista como uma mulher trabalhadora. Enquanto ela dedicava a vida a trabalhar e cuidar dos filhos, Emerson gostava muito de jogar futebol. “Emerson era querido por todos nos, mas o ciúme aliado ao dinheiro pode ter feito com que ele surtasse e cometesse esse crime contra a Nathália. Para nós, amigos, resta a dor de perder dois amigos ao mesmo tempo. Acredito que ele não queria fazer isso”, comenta a pessoa, que também não quis se identificar.

O DIÁRIO DO RIO DOCE tentou entrar em contato com o pastor da Igreja El Shekinah em Valadares, que é irmão do pastor da El Shekinah em New Hampshire, igreja que o casal frequentava, para saber detalhes do velório e do sepultamento, mas foi informado que a instituição não vai se manifestar, para não atrapalhar as investigações.

(Fonte: Eduardo Oliveira/A hora da notícia)