Unidos só no desastre

O tucano José Serra sempre preferiu o “voo solo”, o que o afastou até de correligionários. Em 1994, quando o PSDB não havia escolhido o candidato ao governo paulista, ele aceitou carona no helicóptero de Mário Covas, com quem vivia às turras, entre Jaú e a capital. Após algum tempo de voo, entraram em uma área de forte turbulência. O helicóptero sacudia muito e Serra, que tem medo de voar, agarrou a mão mais próxima. Era a de Covas. O então deputado Aloysio Nunes não perdeu a piada: “Só assim para estes dois se darem as mãos…”

___

Com André Brito e Tiago Vasconcelos |  www.diariodopoder.com.br