Total de imigrantes indocumentados nos EUA é o mais baixo da década

0
234
A travessia pelo rio Grande é um dos locais utilizados pelos imigrantes para tentar entrar clandestinamente nos Estados Unidos. FOTO:Divulgação.

Número de mexicanos continua em declínio, enquanto a América Central é a única região em crescimento na emigração

O número de imigrantes indocumentados nos EUA caiu para o nível mais baixo em mais de uma década, de acordo com o estudo realizado pelo Pew Research Center, baseado em dados do governo de 2016. O declínio se deve quase inteiramente a uma queda acentuada no número de mexicanos que entram no país sem autorização.

Entretanto, a fronteira mexicana continua sendo o caminho para a entrada de um número crescente de imigrantes de El Salvador, Guatemala e Honduras. Por causa deles, a América Central foi a única região responsável por mais imigrantes sem documentos legais nos EUA em 2016 do que em 2007.

Havia 10,7 milhões de imigrantes indocumentados nos EUA em 2016, em contraste com o pico de 12,2 milhões em 2007, de acordo com as novas estimativas. O total é o mais baixo desde 2004 e está ligado ao declínio de 1,5 milhão de imigrantes mexicanos ilegais de 2007 a 2016. No entanto, o México continua liderando, com 5,4 milhões de imigrantes sem documentos que vivem nos EUA.

A diminuição do número total se deve, principalmente, à queda no número de mexicanos que entram no país. Consequentemente, essa população de hoje inclui uma parcela menor de recém-chegados, especialmente do México, do que uma década antes. É provável que estes imigrantes sejam residentes há longo tempo nos EUA, ou seja, dois terços dos imigrantes adultos não autorizados vivem no país há mais de 10 anos.

Como os números diminuíram, outras mudanças ocorreram com relação à imigração ilegal. Entre 2007 e 2016, o número destes trabalhadores caiu, assim como a participação na força de trabalho no mesmo período. O mesmo aconteceu com o número de imigrantes ilegais com idades entre 18 e 44 anos, excluindo as mulheres nessa faixa etária.

À medida que o tempo típico de residência nos EUA aumentou, uma parcela crescente de adultos – 43% em 2016, em contraste com 32% em 2007 -, vive em lares com filhos nascidos nos EUA.

O Pew Research Center calcula que o número total de ilegais está diminuindo e, consequentemente, essa população inclui um número significativamente menor de pessoas que chegaram nos últimos 5 anos. Apenas 20% de todos os imigrantes não autorizados (incluindo adultos e crianças) em 2016 haviam chegado nos 5 anos anteriores, em contraste com 32% em 2007. A queda nas chegadas recentes é especialmente verificada entre os mexicanos; pois apenas 9% tinha chegado aos EUA nos últimos 5 anos. Os mexicanos totalizaram apenas cerca de um quarto de todas as chegadas recentes em 2016, em comparação com a metade em 2007. (Fonte: Brazilian Voice)