Torneio de Robótica reunirá 36 equipes na capital mineira; uma das equipes é de Valadares

FOTO: Divulgação.

Os jovens mais antenados e dinâmicos do Estado estarão reunidos na capital mineira, nos dias 16 e 17/02, para um único objetivo: a conquista do espaço. Ao todo, 36 equipes de escolas públicas, particulares e times de garagem participarão da etapa Minas Gerais do Torneio SESI de Robótica FLL, que será realizada no Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH). Uma das equipes é de Valadares.

Serão cerca de 500 pessoas envolvidas, entre competidores, técnicos, juízes e organizadores. Neste ano, o tema da temporada é Into Orbit, e alunos e técnicos já estão se preparando para propor resoluções inovadoras para problemas detectados e vivenciados durante as viagens espaciais.

A competição é um programa internacional de exploração científica, voltado para crianças e jovens de 9 a 16 anos. Seu objetivo é aproximar os participantes da ciência e da tecnologia, fazendo com que desenvolvam habilidades como o raciocínio lógico, trabalho em equipe e pensamento investigativo. A etapa Minas Gerais do torneio vai classificar seis equipes, que participarão da fase nacional, a ser realizada em março de 2019 no Rio de Janeiro.

A iniciativa tem o intuito de inspirar os jovens a seguirem carreira nos ramos da ciência, tecnologia, engenharia, artes e matemática, por meio de uma experiência criativa. Desta maneira, os competidores são desafiados a investigar problemas e buscar soluções inovadoras para situações reais e programar robôs para cumprir as missões.

 Equipe valadarense

Uma das equipes competidoras é de Valadares. É composta por sete alunos do Sesi: Antônio Caetano Neves Neto, Gabriel Sousa Cruzati, Guilherme Vendramine Henggendorn Ferreira, Henrique Alves Brum Tomaz, João Pedro Andrade Rocha, Lívia Samara Jaques de Oliveira e Marcela Delfina Quintino da Silva. A equipe, conhecida como “Turma do Bob”, é coordenada pelo técnico de informática do Sesi, Thulyo Menezes de Barros. No ano passado eles foram classificados em 2º lugar na programação.

Durante os últimos meses, os alunos desenvolveram diversas estratégias por meio do Lego e da Robótica, pensando estratégias e criando programações para que o robô cumpra todas as missões e desafios propostos. A expectativa é de que a equipe esteja novamente no quadro das campeãs do torneio.

A competição

Criado em 1998 pela FIRST – organização não governamental –, em parceria com o Grupo Lego, a competição propõe que estudantes sejam apresentados ao mundo da ciência e da tecnologia de forma divertida, por meio da construção e programação de robôs feitos inteiramente com peças da tecnologia LEGO Mindstorm. No Brasil, desde 2013, o Sesi é a instituição responsável pela organização do torneio (etapas regionais e nacional).

A cada ano o torneio estimula o trabalho colaborativo, a criatividade e traz desafios do mundo real para estudantes de 9 a 16 anos. O desafio mundial deste ano, Into Orbit (em órbita), é pesquisar sobre as questões relacionadas a viver e viajar no espaço.

Em cada torneio, os estudantes precisam realizar quatro tarefas. Uma delas é o Desafio do Robô, quando colocam os robôs de lego para cumprir determinadas missões. Para realizar as tarefas, o robô pode capturar, transportar, ativar ou entregar objetos na mesa de competição. Tudo de forma lúdica, simulando situações reais. As equipes têm direito a três rounds, de 2 minutos e 30 segundos cada, para execução.

Os robôs, projetados e construídos pelos próprios alunos, também são avaliados na categoria Design do Robô. Os times podem utilizar sensores de movimento, cor, toque, controladores e motores. Os juízes levam tudo isso em consideração, além da estratégia e programação.