Secretaria de Educação anuncia expansão da educação integral

FOTO: Divulgação

A rede estadual de ensino ganha uma nova educação integral, com expansão no número de vagas e escolas atendidas, a partir do segundo semestre deste ano. O modelo traz uma matriz curricular articulada entre as áreas de conhecimento e os campos integradores. Além das matérias regulares da base comum, os alunos vão ter aulas de projeto de vida, cultura e saberes em arte, educação para cidadania, laboratório de matemática, ciências e tecnologia, entre outras disciplinas que passam a fazer parte da matriz pedagógica.

O tempo integral será levado a mais 895 escolas nesse segundo semestre, com abertura de 34 mil vagas em todas as regiões do Estado. Serão 9 mil vagas a mais que o acordado entre o Governo do Estado e a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que previa abertura de 25 mil vagas em agosto próximo. No primeiro semestre foram criadas 30 mil vagas, em 500 escolas. Com a ampliação, a rede estadual chegará ao fim deste ano com 64 mil vagas para o ensino integral, em 1.395 escolas. O modelo vai estar presente em escolas de 533 municípios.

O novo formato foi apresentado nesta quarta-feira, 26, pela secretária de Estado de Educação, Júlia Sant’Anna, durante entrevista à imprensa. “Os números que estamos apresentando são resultado de um esforço muito grande de toda a equipe para ofertar um ensino integral de qualidade e, ao mesmo tempo, atender ao maior número possível de escolas. Isso só foi possível porque estamos fazendo um trabalho sério de gestão da rede, com reorganização de processos e organização financeira”, explicou.

Apoio ao educador

A Secretaria de Educação vai encaminhar para as escolas documentos que auxiliarão os professores no desenvolvimento da nova proposta, como explicou a superintendente de Políticas pedagógicas, Kellen Senra. “Para trabalhar a matriz pedagógica, vamos encaminhar para as escolas e Superintendências Regionais de Ensino um documento orientador que abordará essa proposta educativa e auxiliará na operacionalização. Isso será encaminhado ainda nesta semana. Também iremos construir em conjunto com a rede um material de apoio que será feito a partir de boas práticas realizadas pelas escolas.”

Os professores ainda vão ter oportunidade de participar de cursos de formação, que terão como base o Currículo Referência Minas Gerais. “A formação dos professores é crucial para que a gente consiga que essa nova proposta para a educação integral realmente se efetive. Vamos iniciar no mês de agosto uma formação, que será voltada para o Currículo Referência Minas Gerais. A cada mês teremos assuntos e temas estruturados para trabalhar os campos integradores. A formação fará com que o professor esteja preparado para executar os documentos orientadores”, ressalta a subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica, Geniana Guimarães.