Robinho brinca com saída do Santos, relembra 2018 e vai com “pé atrás” para a Libertadores

0
221
FOTO: Divulgação

A estreia na Copa Libertadores da América vai se aproximando para o Cruzeiro – será no dia 7 de março, contra o Huracán, em Buenos Aires, na Argentina, e, nas entrevistas coletivas dos jogadores na Toca da Raposa, o tema já é bastante comentado. Ontem, o meia Robinho falou com os jornalistas e foi perguntado sobre a participação dele na campanha do Santos, em 2011. Naquela ocasião, o time paulista, que tinha Neymar e Paulo Henrique Ganso como principais estrelas, e era comandado por Muricy Ramalho, conquistou o título.

– Estava lá só no comecinho, depois ó… Fiquei lá só na primeira fase. O Muricy fez a fila andar. Não pude sentir esse gostinho aí não (risos). Mas espero sentir – disse Robinho, arrancando risadas dos jornalistas.

Pouco tempo depois, o meia tratou de contar a verdadeira versão da história.

– Gente, o Muricy foi brincadeira, viu? Eu que pedi para sair (risos). – explicou Robinho, que disse que, como o contrato terminaria em maio, pediu à diretoria do Santos para ser liberado, e foi para o Avaí.

Histórias e brincadeiras à parte, Robinho falou sobre a expectativa para mais uma Libertadores pelo Cruzeiro.

– A confiança, o nosso time tem muito, em todos os campeonatos. Na Libertadores vai ser do mesmo jeito, mas, claro, com um pé atrás agora, por tudo o que aconteceu. Foi, no mínimo, esquisito. Vamos com a mesma confiança, o mesmo foco, mas com um pé atrás – comentou, referindo-se ao polêmico jogo contra o Boca Juniors, na Bombonera, quando o árbitro paraguaio Éber Aquino consultou o VAR e expulsou de forma errada o zagueiro Dedé, após uma disputa de bola pelo alto com o goleiro argentino Andrada.

Sem Folia

Perguntado sobre o Carnaval, uma vez que o Cruzeiro não vai ter jogo no sábado e nem no domingo (o time treina na segunda-feira e viaja no mesmo dia para a Argentina, onde joga na quinta), Robinho disse que gosta da festa carnavalesca, mas a profissão o impede de aproveitar a data.

– Se eu “festace”, né! Mas eu não gosto (risos). Não gosto, porque não posso… Mas é bom que vou ficar um tempo com o meu filho. E acompanhar os desfiles das escolas de samba. Não gosto, porque não posso (risos).

Fim da entrevista coletiva. Robinho levantou-se e, enquanto caminha até a porta de saída, “ameaçou” os jornalistas em tom de brincadeira:

– Se alguém colocar aí que o Muricy me demitiu, eu vou fazer um post nervoso lá, hein! (risos)