Regional de Saúde de Valadares realiza reunião de enfrentamento à tuberculose

O evento contou com a presença de referências técnicas de tuberculose, coordenadores de epidemiologia/vigilância em saúde e de atenção primária e farmacêuticos dos 31 municípios das regiões de Saúde de Valadares e Resplendor.Foto: Divulgação

A Regional de Saúde de Governador Valadares, por meio do Núcleo de Vigilância Epidemiológica (NUVIGE), realizou no último dia 3, em seu auditório central, reunião técnica sobre as ações de combate à tuberculose na região Leste. Participaram referências técnicas de tuberculose, coordenadores de epidemiologia/vigilância em saúde e de atenção primária e farmacêuticos dos 31 municípios das regiões de saúde de Valadares e Resplendor.

Segundo Charles Aguiar, referência técnica em tuberculose da Regional, o objetivo da reunião foi “trabalhar em três focos principais, sendo a ampliação do diagnóstico com implantação de teste rápido molecular, monitoramento dos planos de ação e apresentação do Plano Estadual pelo Fim da Tuberculose, trazendo a atenção primária e a assistência farmacêutica para que cumpram o seu papel essencial no diagnóstico e assistência da tuberculose, e também aprimorando e unindo as equipes “, destacou.

Na abertura do evento, o superintendente da Regional de Saúde de Governador Valadares, Rômulo Batista Gusmão, falou sobre as ações do Estado no combate à doença na região, inclusive da doação ao município de Valadares de um aparelho de teste rápido molecular para tuberculose. Ele falou ainda do envio à Regional de pacientes com casos simples de tuberculose, quando, na verdade, os municípios deveriam vir para a Valadares só os casos complexos. “É importante este momento aqui para potencializarmos a capacidade das equipes de saúde da família municipais em absorver esses casos simples, através de diagnóstico, notificação e tratamento da tuberculose com resolutividade”, frisou.

A capacitação teve a participação da médica referência técnica da tuberculose do município de Governador Valadares, Katiúscia Cardoso Rodrigues, que falou sobre a ampliação do acesso aos métodos diagnósticos com o teste rápido molecular. “Agora os municípios das regiões de Valadares e de Resplendor estão tendo acesso a um exame especializado que agiliza o diagnóstico da tuberculose e também detecta resistência aos medicamentos, com o resultado saindo em poucas horas, o que contribui para a melhoria da assistência à população”, enfatizou.

Para a enfermeira e coordenadora de Vigilância em Saúde do município de Coroaci, Camila Mesquita, a reunião foi muito importante e proveitosa. “Os técnicos da regional e do município de Valadares apresentaram muito bem as novidades e modificações do novo protocolo da tuberculose, que muito vão nos ajudar no trabalho de combate à doença no meu município”, disse.

A tuberculose

A tuberculose é doença infecciosa e contagiosa causada por uma bactéria que afeta principalmente os pulmões, mas também pode atingir outras partes do corpo. A doença é transmitida de pessoa para pessoa pelo ar. A tosse com duração de três ou mais semanas é um dos sintomas principais, acompanhada ou não de febre ao final da tarde, suor noturno e emagrecimento. Na vigência desses sintomas é importante a pessoa procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência para ser avaliada.

O diagnóstico e o tratamento da tuberculose são realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A doença tem cura e, para êxito do tratamento, é importante que o paciente tome medicamentos de forma regular e no tempo previsto.

Qualquer um pode adoecer por tuberculose, mas alguns grupos são considerados mais suscetíveis à doença, como pessoas que vivem com o vírus HIV/AIDS, diabéticos, pessoas em situação de rua, pessoas privadas de liberdade, indígenas e quilombolas.

Quadro epidemiológico em Minas e região Leste

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em 2019 foram notificados, até o momento, 506 casos de tuberculose no estado e 13 óbitos (dados sujeitos a alteração). Em 2018 foram notificados 4.223 casos da doença e 232 óbitos e, em 2017, foram 3.989 casos e 239 óbitos. Ao todo, 549 municípios mineiros tiveram pelo menos um caso de tuberculose em 2018.

Segundo a referência em tuberculose da Regional de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Charles Aguiar, no ano de 2017 foram registrados 160 casos de tuberculose na área de abrangência da Regional, que inclui 51 municípios e uma população de aproximadamente 670 mil habitantes. Já no ano de 2018 foram registrados 189 casos confirmados da doença. Em 2019, até março, foram registrados 34 novos casos da doença na região (dados sujeitos a alteração).