Reformada, Delegacia Regional de Governador Valadares será reinaugurada na sexta-feira

O delegado regional de Polícia Civil, Fábio Sfalcin, avalia que o retorno à sede reestruturada trará melhorias ao trabalho policial e no atendimento à população

Após quase 6 anos, a 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Governador Valadares retorna para o bairro de Lourdes nesta sexta-feira, após solenidade às 9h na 8ª Região Integrada de Segurança Pública. A Delegacia Regional vem funcionando desde fevereiro de 2014 no centro da cidade, quando a antiga sede foi fechada para reforma. Para o delegado regional de Polícia Civil, Fábio Sfalcin, o retorno à sede reestruturada trará melhorias ao trabalho policial e no atendimento à população.

Cerca de 30 policiais trabalharão na nova sede, atendendo a uma população de aproximadamente 539 mil habitantes em 32 municípios, divididos em oito comarcas.

“É uma população muito alta, e a Polícia Civil aqui em Valadares é responsável pelo atendimento, em função do plantão regionalizado que acontece todos os dias, após as 18 horas”, comentou o delegado.

Mobilidade 

Ao sair do centro de Valadares, após quase seis anos, Sfalcin avalia que haverá melhorias até na mobilidade urbana da cidade, e reaquecimento do comércio: “Ganhamos muito em voltar para cá, porque antes estávamos sediados no coração do centro da cidade, cercados de comerciantes e lojistas, com fluxo de veículos enorme em todo o horário do dia, principalmente no horário comercial”.

O delegado afirma que a sede no bairro de Lourdes oferece um espaço mais adequado à Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida e Pessoas Desaparecidas (DCCV), composta por três delegados, três escrivães e doze investigadores. “É uma equipe que trabalha diuturnamente para a apuração desses crimes. Antes a gente estava em um espaço bem pequeno, e ainda assim conseguimos apresentar a Valadares uma redução significativa nos homicídios”, afirmou.

Estrutura 

A estrutura reformada da Delegacia Regional se adequou a exigências de acessibilidade, com elevador e banheiros adaptados para cadeirantes. O prédio ainda abrigará a equipe administrativa da polícia e haverá espaços para confecção de registros de ocorrência, salas de custódia, cartórios, sala para armazenar bens apreendidos e, entre as novidades, a sala para advogados e a sala de reconhecimento – onde vítimas e testemunhas terão privacidade para, anonimamente, identificar suspeitos.

O delegado Fábio Sfalcin acredita que, ao destinar um espaço para os advogados, a Polícia Civil reconhece a importância da categoria. “Não há, na história da Polícia Civil em Valadares, uma distinção em relação a uma classe tão importante, com assento constitucional, que é a Ordem dos Advogados do Brasil. Os advogados estão trabalhando aqui diariamente conosco, exercendo seu ofício, muitas vezes, em situações não condizentes com a importância do cargo”, disse.

Sfalcin observa também que a sala de reconhecimento e a nova recepção – com ambiente climatizado e sem contato com suspeitos – demonstram respeito às pessoas que buscam atendimento da Polícia Civil. “É importantíssimo preservar não apenas a qualidade da investigação, mas sobretudo as vítimas que aqui ficam. Elas vêm aqui já em clima de vulnerabilidade, e a polícia, por sua vez, tem a responsabilidade de diminuir essa situação”, declarou.

por THIAGO FERREIRA COELHO