Quatro dias da tragédia e a família da valadarense ainda não tem notícias

0
5992
Izabela Barroso, de 30 anos, é funcionária da Vale há cinco anos e há quatro meses foi transferida para Brumadinho. FOTO: Divulgação Facebook

A valadarense Izabela Barroso, engenheira de Minas, estaria no restaurante da Vale quando houve o rompimento. Segundo familiares, ela foi transferida há quatro meses para Brumadinho

Descaso. É assim que os familiares da engenheira Izabela Barroso, de 30 anos, definem todo o drama que eles vêm vivendo desde 25 de janeiro, dia do rompimento da barragem no córrego do Feijão, em Brumadinho. Na hora da tragédia Izabela estaria no restaurante da vale almoçando. Casada recentemente, chegou a falar com o marido na manhã do rompimento da barragem. Desde então, ninguém mais teve notícia da Bela, como é chamada cariosamente pelos familiares e amigos.

Trabalhar na Vale, para Izabela, é a realização de um sonho. Há cinco anos trabalha na empresa como engenheira de Minas e somente há quatro meses ela estaria trabalhando na barragem no córrego do Feijão, em Brumadinho. Casada e realizada profissionalmente, a engenheira estaria vivendo um sonho de muitos brasileiros.

Porém, desde a tarde do dia 25 de janeiro, o silêncio de Izabela está gritando nos corações da família Barroso, que vê a falta de notícias se tornar um pesadelo. A família não recebe informação nenhuma da Vale. “Aqui é cada um por si, cada um se vira do jeito que pode. Não estamos recebendo ajuda de ninguém. A única coisa que tem aqui é uma grande catástrofe. Peço a orações de todos”, desabafou Marcelo Barroso, irmão de Izabela.

A família Barroso é conhecida na cidade por ter uma forte ligação com a Igreja Católica, em especial a Catedral de Santo Antônio. O pai de Izabela, Helvécio Barroso, é ministro da eucaristia. Na noite de sexta-feira, 25, a mãe dela, Mércia Barroso, chegou a pedir orações pela filha. “Meus caros irmãos e irmãs. Peço as orações de todos vocês. Minha filha Izabela estava lá, e está desaparecida. Não tenho nenhuma informação dela. Deus nos abençoe e nos proteja. Amém”.

Número de vítimas em Brumadinho sobe para 60

Na manhã de ontem, 28, segundo o Corpo de Bombeiros, subiu para 60 o número de mortes em decorrência do rompimento da barragem em Brumadinho. Continuam desaparecidas 292 pessoas, 192 foram resgatadas e 19 corpos já foram identificados.

“As chances de encontrar sobreviventes são muito pequenas, por causa das características do desastre, que são diferentes de desabamentos, situações em que há bolsões de ar. Nessa característica de lama, isso é muito difícil de acontecer, mas trabalhamos com todas as possibilidades”, declarou o porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, tenente Pedro Aihara.

Lama que fere

Diante do desespero vivido pela família de Izabela, a prima Rebeca Magalhães fez uma homenagem e um desabafo em um texto publicado no facebook. Na mensagem, uma forma de expressar o que a família da engenheira está passando, Rebeca coloca todos os seus sentimentos para fora e faz a homenagem não só para Izabela, mas para as famílias que, assim como a dela, estão em busca de notícias.

Izabela Barroso ao lado dos irmãos Marcelo, Ricardo e Gustavo. A família não está recebendo nenhuma ajuda; a única coisa que eles conseguem enxergar em meio à lama é uma grande catástrofe.FOTO: Reprodução Facebook

“Onde está a Bela?

Ela está no silêncio do grupo da nossa família, que não sabe o que fazer além de orar. Ela está na casa da tia Nancy, que finge estar forte, porque tem que segurar a tia Mércia, que é mãe da Bela e tem em sua única filha mulher sua riqueza e força. A Bela está no ‘desespero silencioso’ do meu tio Helvécio, que está apático, olhando e rodando de um lado para o outro, por aquele mar de lama em Brumadinho, buscando qualquer sinal de que sua Bela será encontrada. Onde está a Bela? Está no Gu, seu irmão, que está com a voz cansada e que em áudios atualiza os amigos e parentes com dados desatualizados, porque em nenhum deles recebemos a informação de que nossa Bela está em algum lugar. Ontem à noite o Gu me disse: ‘Rebeca, apenas reze!’ Me senti impotente e rezei. Onde está a Bela? A Bela está no grito dos familiares pelo CRIME que sorrateiramente recebe o nome de desastre/acidente! Não foi acidente; foi CRIME!!! Onde está a Bela? Está no ABANDONO das famílias que sofrem. Meus primos e tios estão olhando para barreiras e enxergando pedaços de corpos sendo encontrados por terem sido mutilados. São poucos os corpos que têm sido encontrados inteiros. Você que é pai, que é mãe, e você também que não é: já imaginou ter que olhar para um mar de lama e encontrar pedaços de corpos sendo resgatados? E buscar nesses “pedaços” qualquer parte que te faça reconhecer seu ente querido? E se quiser piorar o cenário, ainda podemos descobrir que os familiares têm recebido da Vale todo descaso e falta de assistência nos cuidados mínimos! Meu tio está com a mesma roupa há três dias. Não existe colchonete pra repouso, sanduíches fajutos são fornecidos aos familiares que olham pro alto, sem acreditar no que está acontecendo, mas se queimam com aquele sol forte pra se lembrar de que tudo aquilo é real no inferno da lama que fere. Lama que fere!!! Fere muito, fere tudo! Feriu corpos, histórias, continuidades e amores. Minha prima acabou de se casar e foi uma das noivas mais lindas que eu já vi. Ela tinha uma vida de sonhos pela frente. E a Vale? Ahhhh… a Vale? A Vale silencia e só tem voz para a imprensa !!!!. Parece um pesadelo, e é. Onde está a Bela? Ela está no grito que sangra porque a garganta sabe que não adianta gritar: a Bela não vai ouvir. Onde está a Bela? Está nos posts da Mariana e nos compartilhamentos de todos nós valadarenses, brasileiros, familiares e amigos. A Bela está na minha fragilidade em ter que ouvir que só me resta orar. Ouvir que nos resta apenas orar parece ser um compromisso, por meio do qual assumimos nossa fragilidade e falta de controle da situação perante Deus. Somente orar. Então, frágil, você ora. Ora 1, 2, 10 vezes. E na oração Deus silencia seu coração e aos poucos você entende que NÃO é questão de SÓ orar por ser fraca; é questão de fazer da sua ORAÇÃO sua maior arma, porque hoje, no meio de toda essa lama, a única CERTEZA que temos é de que nossa Bela está com Deus. Orem, amigos. Oremos juntos em prol da Bela e de todos que sofrem com o CRIME cometido em Brumadinho. Que a dor não nos silencie e que cobremos da VALE o mínimo de respeito com as famílias, que assim como o meu tio, agora olham para toda aquela lama com um só pensamento: Onde está a Bela? Porque, infelizmente, naquele lamaçal existe também Joões Marias que sofrem a ausência de suas Belas e Belos”. Rebeca Magalhães

Oficiais israelenses se reuniram ontem com o embaixador de Israel no Brasil para traçar as ações de salvamento das vítimas e resgate dos corpos.FOTO: Forças de Defesa de Israel/Redes Sociais.