Projeto Meninas Resilientes teve aula inaugural ontem

149
As trintas meninas do projeto Meninas Resilientes vão ter a oportunidade de participar das atividades de prática laboral bombeiro militar, como prevenção e combate a incêndio, prevenção a acidentes domésticos, atendimento pré-hospitalar, salvamento em altura, terrestre e aquático

Na manhã de quinta-feira, 13, às 9h, aconteceu no auditório do Senac a aula inaugural do projeto de Impacto Social “Meninas Resilientes”. O evento foi promovido pelo Sexto Batalhão de Bombeiros Militar, com o objetivo de combater e prevenir a criminalidade e a violência, promovendo a inclusão social e o desenvolvimento da cidadania e do civismo entre crianças e adolescente, com a ideia de formar cidadãs disseminadoras de valores positivos junto à sociedade. O esporte e disciplinas alusivas à profissão de bombeiro militar, como forma de educação pautada na hierarquia e disciplina, pilares do militarismo, também vão fazer parte da ação. O projeto, nesta primeira etapa, está atendendo a 30 adolescentes, com aulas às quartas e sextas-feiras, das 8h30 às 10h.

O projeto de impacto social “Meninas Resilientes” nasceu da preocupação do corpo de bombeiros militar de utilizar a imagem positiva da corporação perante a sociedade para combater e prevenir a criminalidade. O “atlas da violência 2018 – retrato dos municípios”, colocou Governador Valadares entre as cidades mais violentas do Brasil, estando no seleto grupo de 2,2% das cidades brasileiras responsáveis por metade dos homicídios do país em 2016.

As aulas vão acontecer no 5º Pelotão de Bombeiros, no bairro São Raimundo, e terão duração de seis meses, com formatura das participantes em dezembro. Nesse tempo, as trinta alunas de onze a quatorze anos, estudantes da Escola Estadual Manoel Byrro, terão duas aulas semanais com uma hora e meia de duração cada. Além da prática do basquetebol e do futsal, terão atividades teóricas e práticas nos campos das ciências da saúde, humanas e sociais, despertando a consciência coletiva de preservação do meio ambiente, cuidados com a saúde, noções de higiene, educação no trânsito, drogas e seus malefícios, direitos da criança e do adolescente, dentre outros temas pertinentes. As meninas também têm no curso contato direto com disciplinas específicas da prática laboral bombeiro militar, como prevenção e combate a incêndio, prevenção a acidentes domésticos, atendimento pré-hospitalar, salvamento em altura, terrestre e aquático, dentre outros.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, as Meninas Resilientes também terão a oportunidade de participar de atividades de cultura, lazer e solenidades cívico-militares, como o desfile de Sete de Setembro. Para que o projeto se tornasse realidade, o Sexto Batalhão de Bombeiros contou com o apoio irrestrito do Consep Ibituruna e do Projeto Gota D’água, e com a disponibilidade de militares voluntários com cursos de nível superior e cursos da própria corporação, além de criar uma rede de atendimento que conta com a parceria do Nasf, Sesc, Cras, ESF e o Conselho Municipal da Mulher.