Programa de Apadrinhamento é apresentado a lideranças de entidades

O programa foi apresentado ontem a lideranças e será desenvolvido em quatro viés: Financeiro, Prestador de Serviço, Educador e Afetivo

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) apresentou na quinta, 19, para diretores de entidades e Ministério Público, as propostas do Programa de Apadrinhamento do Município. O encontro aconteceu na Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça (CREDCA/VRD).

O Programa de Apadrinhamento, em linhas gerais, propõe oportunidades de convívio e criação de vínculos para crianças e adolescentes com poucas chances de adoção ou com impossibilidade de reintegração à família e que estão nos sete serviços de acolhimento que o município dispõe. São eles: Programa Futuro Feliz, Fundação Casa da Menina Santa Bernadete, Casa Lar Itaka Escolápios, Cidade dos Meninos, Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora, Serviços de Acolhimento Institucional Municipal Masculino e Feminino.

O apadrinhamento será desenvolvido em quatro modalidades: Financeiro, Prestador de Serviço, Educador e Afetivo. No Financeiro, o padrinho dará suporte financeiro ou material para a criança ou adolescente assistido; no Prestador de Serviço, a pessoa física ou jurídica poderá contribuir com a instituição, concedendo contribuições de melhorias nos espaços físicos (pedreiros, marceneiros, psicólogos e afins); o Educador (pessoa física ou jurídica) oferecerá conhecimento para os assistidos, por meio de aulas, aulas de reforço, oficinas, dança, música, cursos e outras atividades que contribuam com o aprendizado. O apadrinhamento Afetivo garantirá uma maior proximidade entre padrinho e afilhado, o que permite a construção de laços. Com isso, a pessoa poderá levar a criança ou adolescente para passeios, passar fim de semana em casa, feriados ou férias escolares.

Segundo a pedagoga Jemima Gonçalves, da equipe de Supervisão e Apoio aos Serviços de Acolhimento para Crianças e Adolescentes, o Programa de Apadrinhamento traz oportunidades de convivência e aprendizado para os assistidos. “É um programa de grande importância. Ele permite a essas crianças e adolescentes um contato maior com o aprendizado e também com o convívio familiar, o que para eles é fundamental. O próximo passo é divulgar o programa para que as pessoas conheçam e os interessados possam participar e se tornar padrinhos”, disse a pedagoga.

Como participar

O interessado em acolher alguma criança ou adolescente nas modalidades de Apadrinhamento participará de uma triagem realizada pela Secretaria de Assistência Social, para conhecer melhor o perfil, através de entrevistas, oficinas e outras atividades dos Serviços de Acolhimento. O contato é (33) 3277-9300.