Presidente Trump adia deportação de “milhões” de indocumentados

474
Após receber severas críticas dos Democratas, o presidente Donald Trump resolveu adiar por suas semanas a operação de deportação em massa de imigrantes indocumentados que vivem nos EUA

O presidente Donald Trump anunciou a suspensão, por duas semanas, da Operação “Family Op”, que tem o objetivo de deportar dos EUA as famílias de imigrantes indocumentados que entraram clandestinamente pela fronteira com o México. Caso seja posta em prática, aproximadamente duas mil famílias podem ser afetadas pela operação. Além disso, inúmeras crianças nascidas nos EUA seriam obrigadas a se separar de seus pais ou sairiam com eles do país, embora sejam cidadãs.

O motivo do adiamento teria sido um pedido feito pelos congressistas democratas ao presidente. A líder deles na Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, teria telefonado para Trump e pedido a suspensão da série de batidas migratórias. No domingo (23), Trump postou no Twitter o adiamento da operação. A Operação “Family Op” estava agendada para começar na madrugada de domingo (23) em 10 metrópoles espalhadas pelos EUA.

“A pedido dos democratas, vou adiar o processo de deportação dos imigrantes ilegais por duas semanas, para ver se democratas e republicanos conseguem chegar a uma solução para os problemas de asilo na fronteira do sul (dos EUA). Se não, as deportações vão começar”, informa a postagem.

Prefeito de Newark reage

O prefeito Ras J. Baraka e a Associação dos Prefeitos Urbanos de New Jersey denunciaram os planos do presidente Donald Trump de realizar batidas migratórias antes do amanhecer para deportar imigrantes indocumentados em cidades de todo o país. O pronunciamento foi feito durante a coletiva de imprensa realizada na segunda-feira (24) nos degraus da frente da sede da Prefeitura. Depois de postar no Twitter que as batidas ocorreriam na madrugada de domingo (23), Trump as adiou por aproximadamente duas semanas.

“Desde a época em que nos declaramos uma ‘cidade-santuário’, nós em Newark temos testemunhado mais atividades de ICE em nossa comunidade. De fato, em 2018, o ICE prendeu mais de 3 mil pessoas, o que representa um aumento de sete por cento em relação ao ano anterior. Isso significa que eles intensificaram a fiscalização nesta área, devido ao fato de nos declararmos uma ‘cidade santuário’ “, disse Baraka.

“Acreditamos que o presidente Donald Trump é desumano, está errado e estamos aqui para nos posicionar contra isso. Estamos aqui para apoiar aqueles em nossas comunidades que podem ser vitimados por essa administração. Nós faremos o que pudermos para fazê-los sentirem-se seguros, para fazê-los sentirem-se tranquilos e deixá-los saberem que as pessoas desta comunidade estão com eles e ficarão ao lado deles com suas famílias continuamente durante esse período difícil. Acreditamos que eles devem se beneficiar dos serviços de nossa comunidade”, acrescentou. (Fonte Brazilian Voice).