Prefeitura anuncia investimento de R$ 56 milhões para Valadares

428

Instalação de uma Unidade de Transbordo de Carga da Estrada de Ferro Minas/Espírito Santo, que será construída pela Odebrecht, foi confirmada pelo prefeito André Merlo (PSDB) com início das obras previsto para o primeiro trimestre de 2019

Uma das principais metas do atual governo, desde os seus primeiros dias de trabalho, sempre foi dar à cidade condições de atrair grandes investimentos, que garantam mais desenvolvimento e mais empregos para os valadarenses. E uma grande obra, orçada em mais de R$ 56 milhões, anunciada para acontecer em Governador Valadares – e que vai integrá-la a um dos corredores intermodais mais promissores do país, alavancando sua condição econômica – mostra o acerto da administração em seus esforços para melhorar e recuperar sua infraestrutura.

Trata-se de uma Unidade de Transbordo e Armazenamento de Cargas (Utac), que faz parte da Estrada de Ferro Minas/Espírito Santo (EFMES). A nova linha férrea vai ligar Sete Lagoas ao Centro Portuário São Mateus (CPSM), no Espírito Santo. Esse megaporto multicargas da Odebrecht será construído pela Petrocity Portos com recursos da ordem de R$ 10 bilhões.

Essa unidade de transbordo de cargas vai ocupar uma área de 200 mil metros quadrados e a contrapartida do Município, além de incentivos fiscais, inclui infraestrutura (saneamento) na região a ser escolhida para receber o empreendimento e um plano de capacitação de mão de obra.

Para o prefeito André Merlo, essa contrapartida viabiliza o cumprimento de um pedido feito por ele: o de que toda a mão de obra utilizada na construção e prestação de serviço da unidade, seja de Valadares: “precisamos aquecer a economia no interior, e com a cidade em condições de sediar e acolher empreendimentos que vão se reverter em emprego e renda para os nossos cidadãos. E isso é o mais importante em uma cidade como a nossa, onde lutamos muito todos os dias para o crescimento econômico e social de Valadares. É realmente uma grande notícia”, disse ele.

Segundo o secretário de Desenvolvimento, Carlos Teixeira, que representou o prefeito na apresentação do projeto, a escolha de Valadares não se deu por acaso. Além da localização estratégica (a cidade é cortada pelas BRs 116, 381 e 259, além da EFVM), foram considerados os esforços para ampliar a capacidade e modernizar o aeroporto (a construção do novo terminal já está em fase de licitação), como também melhorias em áreas que tornam Valadares referência em saúde, educação e serviços para todo o Leste de Minas.

Para o secretário, esse megaporto vai trazer ganhos imensuráveis para o Município: “a informação é de que as obras começam no primeiro trimestre de 2019. Nem sei como mensurar o quanto Valadares vai crescer e se desenvolver com uma unidade de transbordo dessa magnitude instalada aqui. Será um marco para esta administração”, disse Teixeira.

A previsão é de que as operações do megaporto comecem em 2021. Por essa ferrovia serão transportados containers, grãos, celulose, produtos siderúrgicos, carnes, frutas, laticínios, veículos e rochas ornamentais como o granito. O investimento previsto, somente para a implantação da EFMES, é de R$ 6,5 bilhões. Seu trajeto é diferente da EFVM.