Preço justo

Envolvido na campanha ao governo de Santa Catarina, em 1965, Aderbal Ramos da Silva, presidente do PSD, não sabia como se livrar de Jack, um boêmio, chato, que não largava seu pé. Um dia entregou-lhe uma quantia: “Jack, por favor, entregue estes Cr$ 100 mil ao Gordon. Em mãos”.

Ele só voltaria um mês depois: “Dr. Aderbal, procurei o Gordon por todos os lados. Fui ao Rio, São Paulo e Porto Alegre e não o encontrei. Gastei o dinheiro procurando o homem…”

Aderbal disse que não tinha problema. Afinal, livrou-se dele por um mês! “A propósito, dr. Aderbal,” perguntou Jack, intrigado, “quem é o Gordon?”

___

Com André Brito e Tiago Vasconcelos | www.diariodopoder.com.br