Políticas públicas são o tema da Campanha da Fraternidade 2019

0
231
Para o padre Gilberto Faustino, o tema da Campanha da Fraternidade deste ano é atual e vai permitir que a Igreja faça uma abordagem correta das políticas públicas e dos verdadeiros impactos na vida dos cidadãos. FOTO: Divulgação

Com a chegada da Quaresma, na próxima Quarta-feira de Cinzas, dia 6 de março, a Igreja no Brasil inicia a Campanha da Fraternidade, que este ano traz como tema: “Fraternidade e Políticas Públicas”, e o lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27).

Neste ano, a temática traz uma reflexão de como as políticas públicas impactam na vida cotidiana das pessoas. Além disso, é um momento de mostrar a realidade e chamar a atenção para o fato de que ainda é preciso lutar por garantias de direitos para a população, em especial a mais pobre.

Neste contexto, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) preparou um documentário sobre a CF 2019, que explica o processo e o ciclo das políticas e apresenta experiências da própria Igreja, com ações concretas, que fazem diferença na vida de milhares de pessoas que tanto necessitam.

O bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, faz um convite aos cristãos para que reflitam e se envolvam na luta por uma sociedade justa: “Somos convidados a refletir uma realidade nossa. Vamos participar, vamos refletir, vamos rezar essa realidade para que, assim, ajudemos a ter um Brasil mais justo, mais fraterno, baseado no direito e na justiça”, ressalta.

O documentário, que tem dois blocos, será veiculado nas principais emissoras de TVs de inspiração católica do país. O material, que tem 11 minutos de duração, traz ainda depoimentos de especialistas e lideranças religiosas que trabalham em prol da justiça social e mostra a realidade de comunidades que são beneficiadas com essas ações. É importante lembrar que as políticas públicas são a maneira de o Estado efetivar ações em nome do bem público, conforme destaca a presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), Elisabetta Recine, ex-presidente do extinto Consea.

Desde a criação da CF, em 1964, já se passaram 55 anos buscando despertar nas pessoas o senso de justiça social, de fraternidade e de amor ao próximo. Ela nasceu no contexto do Concílio Vaticano II, que iniciou um tempo de renovação na Igreja, trazendo muitas luzes para todas as realidades. A cada ano, a Igreja no Brasil escolhe uma temática que ajuda as comunidades e toda a sociedade civil a ampliarem sua reflexão sobre o tema em questão.

Padre diz que a Igreja vai discutir o tema da campanha sem a maquiagem da mídia

De acordo com o padre Gilberto Faustino Braz, da paróquia Santa Rosa de Lima, em Governador Valadares, o tema da Campanha da Fraternidade este ano é bem atual, porque leva a uma reflexão sobre os impactos das propostas de políticas públicas na vida do cidadão, principalmente nos mais pobres. “Vemos uma abordagem maldosa dos meios de comunicação ao manipular propostas que inicialmente chegam à população através de discursos, mas depois, na prática, são perversos e retiram direitos dos mais carentes”, comentou.

Para exemplificar, o religioso cita a reforma da Previdência, que foi muito discutida durante a campanha eleitoral de uma forma que ocultava os verdadeiros interesses dos políticos. “Agora a gente vê que, na prática, as mudanças propostas não têm nada de vantagem, mas de punições para a classe trabalhadora menos privilegiada. Está claro que a classe mais abastada, ou seja, os ricos, algumas classes privilegiadas e os políticos não serão afetados pelas mudanças, mas sim o trabalhador, que terá seus direitos previstos em lei vilipendiados e mais uma vez vai pagar a conta na hora de cobrir o déficit da Previdência”, comentou.

Com relação à abordagem que a sua paróquia irá fazer para debater o tema da campanha, ele diz que isso vai acontecer durante as atividades que serão desenvolvidas no período da quaresma, que começa na próxima quarta-feira, 6. “Vamos debater o assuntos nas nossas missas e através do curso da Campanha da Fraternidade, que será ministrado por leigos da paróquia junto aos fiéis. Também haverá outros tipos de abordagens, que mostrarão como as políticas públicas afetam na vida do cidadão, de forma que ele possa ser esclarecido e não se deixe levar por informações manipuladas pela mídia perversa, que presta esse papel”, finalizou.

Para o padre Gilberto Faustino, o tema da Campanha da Fraternidade deste ano é atual e vai permitir que a Igreja faça uma abordagem correta das políticas públicas e dos verdadeiros impactos na vida dos cidadãos.FOTO: Divulgação