PM apreende carro, maconha e mais de R$ 30 mil em Galileia

402
O carro estava com os documentos irregulares e por isso foi apreendido, juntamente com a maconha e o dinheiro. FOTO: Divulgação

Policiais da8ª Companhia de Policiamento Rodoviáriorealizaram na última quinta-feira, 9, uma operação para combater o uso de bebidas alcoólicas pelos motoristas que trafegam pelas estradas jurisdicionadas pela PRE. A equipe que fiscalizava no Km 106 da BR-381, na cidade de Galileia, fez a abordagem do Fiat Siena branco placa AMT 8104, por causa das atitudes suspeitas dos ocupantes do veículo.

Ao solicitar os documentos de porte obrigatório do condutor, notou-se que do interior do veículo exalava um cheiro semelhante ao de maconha. Diante da suspeição, foi determinado aos ocupantes que desembarcassem, sendo encontrado no bolso de trás da bermuda do passageiro Weny Viana Souza dois embrulhos transparentes com maconha e R$ 1.046,00 em dinheiro, e com o segundo passageiro, Carlos Rodrigo Barreto Castilho, foi encontrado no bolso da frente de sua calça a quantia de R$ 566,00.

Os militares fizeram busca no interior do veículo e encontraram no banco de trás uma fronha de pano com R$ 30.190,00 (trinta mil cento e noventa reais). Carlos Rodrigo disse ser o dono do dinheiro e, indagado sobre a procedência dele, entrou em contradição várias vezes. Primeiro, disse que o dinheiro era devido a um trabalho que realizou, apanhando café em São Mateus/ES. Mais adiante, disse que o dinheiro era da venda de um lote. Contudo, não apresentou qualquer meio de comprovar o que disse aos policiais.

Carlos Rodrigo disse ainda que estava se deslocando de São Mateus/ES a Governador Valadares/MG para comprar café. Depois entrou em contradição novamente, dizendo que estava vindo a Valadares para comprar um veículo e vender o Siena em que estavam, e que depois levaria o veículo comprado para a cidade de Mantenópolis/ES.

Já Weny disse que estava aproveitando a carona para passear em Governador Valadares. A outra passageira, de nome Isabel, que se identificou como esposa de Carlos, afirmou que comprou o suposto lote com o dinheiro do auxílio reclusão do seu marido no tempo em que ele ficou preso, no estado do Espírito Santo.

Sem comprovação

Por sua vez, Carlos não comprovou a origem do dinheiro. Ao consultar o nome dele no sistema, os policiais constataram que Carlos cumpriu pena pela prática dos crimes previstos nos artigos 33 e 35 (da lei 11.343/2006) e encontra-se no regime aberto, assim como Weny, que também cumpriu pena pela prática dos crimes previstos no artigo 33, todos da lei 11.343/2006.

Devido à fundada suspeita da origem do dinheiro (trinta mil cento e noventa reais) no momento da abordagem, o valor arrecadado com Carlos foi apreendido. O veículo (Siena) não estava devidamente licenciado e por isso foi rebocado para um depósito credenciado do Detran. Os suspeitos foram encaminhados para a Delegacia Regional de Governador Valadares, juntamente com a droga e o dinheiro apreendido.

No desenrolar da ocorrência foi feito contato com a PM do Espírito Santo, que repassou a informação de que na madrugada de terça para quarta-feira passada teria ocorrido um assalto a residência naquela região, onde teria sido roubada a quantia de cinquenta e dois mil reais em espécie. Fotos dos detidos foram encaminhadas à Polícia Militar do Espírito Santo, a fim de que fossem mostradas para as vítimas do roubo, porém, até o fechamento da ocorrência, não houve retorno dos policiais daquele estado.