Pianista sem piano

FOTO: Divulgação

Eleito governador do Rio Grande do Sul em 1934, o general Flores da Cunha foi pressionado pelas oito irmãs e a mãe, durante um ano, a nomear o sobrinho Pedruca para qualquer cargo. Ele resistiu – considerava Pedruca um inútil. Mas não aguentou a pressão do mulherio (quem aguentaria?) e capitulou, dando finalmente instruções a Poti Menezes, chefe da Casa Civil: “Prepare o ato nomeando Pedruca pianista do Palácio Piratini.” O secretario ponderou: “Mas, governador, Pedruca nem sequer sabe tocar piano…” O general liquidou o assunto: “Não faz mal, no Palácio não tem piano mesmo…”