PC suspende despachante suspeito de fraudar documentos de veículos em Marilac

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão, os investigadores apreenderam vários documentos suspeitos de fraude, os quais vão passar por perícia técnica. FOTO: Divulgação Polícia Civil

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Marilac, cumpriu nesta segunda-feira, 10, um mandado de busca e apreensão domiciliar e um mandado judicial de “Suspensão de Atividades de Despachante Documentalista”, em desfavor de um despachante cadastrado no Conselho Regional de Despachantes e Documentalistas de Minas Gerais (CRDD). Ele vinha atuando junto ao Detran de Governador Valadares, que abrange a circunscrição de Marilac.

Através de inquérito policial foi possível identificar que o despachante G.P.F.S., de 26 anos, teria falsificado o carimbo e a respectiva assinatura de um policial civil vistoriador, a fim de simular vistorias veiculares, objetivando, assim, realizar procedimentos administrativos junto ao Detran, especialmente no que se refere à transferência de propriedade de veículo. Até o momento foram identificados dez procedimentos com indícios de fraude.

Os delegados Cleriston Lopes e Márdio Costa, responsáveis pelas investigações, ressaltaram que a conduta do referido despachante é extremamente lesiva à sociedade, considerando-se que um laudo pode macular a imagem de uma classe profissional tão importante, que é a dos despachantes, bem como abre brecha para que veículos supostamente irregulares possam circular normalmente pelas cidades. Durante as buscas ocorridas no estabelecimento do investigado foram arrecadados outros documentos com sinais de falsificação.

Ainda de acordo com os delegados, se a conduta do despachante não fosse descoberta, poderia dar azo à investigação criminal contra o referido servidor da Polícia Civil, uma vez que teve seu nome envolvido em diversos procedimentos sem que ao menos tivesse conhecimento dos mesmos.Por fim, a PCMG ressalta que todos os veículos citados na investigação policial deverão ser novamente vistoriados, a fim de garantir a lisura dos procedimentos, sendo que os respectivos proprietários terão seus direitos devidamente protegidos e garantidos.