Oficina de educação financeira orienta profissionais de assistência social e educação

FOTO: Divulgação

Profissionais de assistência social e educação de municípios da bacia do rio Doce vêm participando de oficinas de educação financeira. A iniciativa é do Programa de Proteção Social da Fundação Renova, em parceria com a Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF). No mês de setembro, nos dias 19 e 20, a formação será promovida no município de Timóteo, no Vale do Aço.

O objetivo da ação é oferecer orientações sobre planejamento financeiro e gestão de finanças pessoais nas 35 localidades de Minas Gerais atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão, em 2015. Até o momento, já foram capacitados 839 moradores em 15 municípios da região.

Na última semana de agosto, entre os dias 27 e 30, três municípios receberam a oficina: São Pedro dos Ferros, Pingo D’Água e Fernandes Tourinho. Ao todo, 309 profissionais de assistência social e educação participaram das capacitações nessas cidades. Os próximos encontros serão realizados em Timóteo, Marliéria e Dionísio.

Elizeth de Moura, conselheira tutelar do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Pingo D’Água, destaca a importância da conscientização da população sobre o planejamento financeiro. “Certamente, vou trazer esse aprendizado para minha vida. Foram informações muito úteis que nos mostraram algumas atitudes erradas que tomávamos em relação ao nosso dinheiro. Agora, seremos capazes de organizar melhor a nossa vida financeira”, diz Elizeth de Moura.

Glaziane Silva, analista do Programa de Proteção Social e Saúde da Fundação Renova, explica como surgiu a iniciativa das oficinas de educação financeira: “A proposta veio da articulação do Programa de Proteção Social com o Programa de Indenização Mediada, a partir da perspectiva de indenização assistida, a fim de orientar as famílias atingidas sobre planejamento financeiro no processo de retomada de suas atividades”.

Izabelly França, que também atua como analista do Programa de Proteção Social e Saúde da Fundação Renova, fala da importância das oficinas para os técnicos de assistência social e educação dos municípios mineiros: “Elas contribuem com o desenvolvimento de atividades nessas duas áreas [assistência social e educação] e no fomento da temática nos municípios onde há comunidades impactadas pelo rompimento da barragem”, afirma.