“O tema criança tem que estar o tempo todo na pauta”

FOTO:Divulgação

Ministra Damares Alves (Diretos Humanos) sobre o novo Estatuto da Criança e do Adolescente

Bolsonaro deixou na mão aliados de primeira hora

Apesar da formação militar, o presidente Jair Bolsonaro ignora a máxima de que “as guerras vêm e vão, mas os soldados são eternos.” “Soldados” na campanha vitoriosa de 2018, que também ajudaram no governo de transição, agora estão magoados com o capitão. Muitos sequer foram convidados para o governo, e outros, aproveitados, acabaram dispensados por “neo-bolsonaristas”. Na área de educação, inúmeros especialistas ligados à campanha foram depois “limados”.

Primeiro rejeitado

Primeiro apoiador enxotado do convívio com Bolsonaro após a vitória, o ex-senador Magno Malta até hoje não sabe ao certo o que aconteceu.

Primeiro rifado

O general Marco Aurélio Vieira, secretário nacional de Esportes, foi “rifado” do ministério do neo-bolsonarista Osmar Terra (Cidades).

Primeira afastada

A primeira mulher militar a se engajar na campanha, coronel Márcia Amarillo, também foi alijada do projeto de Escolas Cívicas.

Fiel escudeiro fora

Primeiro ministro demitido por Bolsonaro, Gustavo Bebianno, foi vítima de embates com Carlos, o “Zero Dois”, um dos filhos do presidente.

Lobby faz Brasil produzir etanol (podre) de milho

O lobby que no governo Dilma obteve imposto zero para importação do etanol de milho, na tentativa de “matar” as usinas de açúcar e álcool do Nordeste, vendeu a ideia de que o produto é viável. Muito poluente e menos eficiente que o álcool de cana, o álcool à base de milho precisa de combustível fóssil para ser produzido. E a Conab (Cia. Nacional de Abastecimento), garante que sua produção já é de 1,4 bilhão de litros.

Atitude estranha

Diretor de Conab, Guilherme Bastos abre guerra ao álcool de cana, limpo, para trombetear produção de etanol de milho, cara e ineficaz.

Fake news

Lobby e fake news como “o produto final é o mesmo”, difundidas pelo diretor da Conab, levaram à queda de 2,4% na área plantada de cana.

Etanol bom

O 1º Levantamento da Cana, da Conab, prevê produção de 30,3 bilhões de litros de etanol de cana-de-açúcar na safra de 2019/2020.

Pela culatra

A assessoria não informou ao presidente Jair Bolsonaro que o seu decreto facilitando o porte de armas para proprietários rurais, quem diria, garante o mesmo benefício para militantes do MST já assentados.

Em nome da concorrência

O ministro Edson Fachin negou liminar às empresas tradicionais de transporte interestadual de passageiros contra a Buser, startup que funciona como o Uber, com aplicativo para viagens compartilhadas.

Dinheiro no lixo

O “Previdenciômetro” da Confederação Nacional da Indústria diz que, se a reforma da Previdência de Temer tivesse sido aprovada, o Brasil já teria poupado R$ 10 bilhões. E R$ 18,85 bilhões até o fim do ano.

Quem não tem voto

No próprio governo, não houve quem acreditasse na sinceridade do próprio líder, senador Fernando Bezerra (MDB-PE), quando ele disse que fez “todo esforço” para manter o Coaf no Ministério da Justiça.

Primeira leitura

O ministro Alexandre de Moraes receberá da Interpol, na Interforensics 2019, da Academia Brasileira de Ciências Forenses, a primeira cópia do Guia Internacional de Crimes Cibernéticos. A entrega será dia 24.

Corte na Educação

No Ceará, o Ministério Público apura o impacto do corte no orçamento das universidades públicas. Curiosamente, os valores contingenciados são inferiores aos cortes do governo Dilma (PT), e ninguém reclamou.

Sorrindo à toa

O deputado e vlogger Luís Miranda (DEM-DF) embarcou para Tóquio com a ministra Tereza Cristina (Agricultura). Não escondeu a felicidade por fazer parte da delegação. Até fez selfies e vídeos.

Velhos amigos

O secretário de Fazenda do Distrito Federal, André Clemente, não poupa elogios ao ex-secretário José Flávio. Amigos da época de Joaquim Roriz, eles estiveram em lados opostos nas eleições de 2018.

Pensando bem…

… a Previdência está como casa velha: necessita de uma reforma e não apenas um tapa no visual.