“O sistema previdenciário atual é insustentável e caríssimo”

FOTO: Divulgação

Secretário de Controle Externo da Gestão da Previdência do TCU, Tiago Alves Dutra

Caixa-preta do BNDES vai continuar fechada

Os detalhes da farra de financiamentos bancados pelo BNDES, com dinheiro público, continuam escondidos do contribuinte, que paga a conta, após dez meses de governo Bolsonaro. A CPI do BNDES na Câmara, terceira CPI criada por parlamentares para abrir a caixa-preta do banco, chegou a dar uma ponta de esperança com os pedidos de indiciamento dos ex-presidentes Lula e Dilma. Mas acabou em pizza, como as anteriores, e os petistas foram excluídos do relatório final.

‘Inimigos’ unidos

Relator da CPI, Altineu Côrtes (PR-RJ) tirou o pedido de indiciamento de Lula e Dilma após pressão da aliança entre PT e “centrão”.

Aos amigos tudo

A farra inclui financiamentos com juros camaradas e sem fiscalização ou exigência de prestação de contas para empresas e ONGs amigas.

Ali, ninguém tasca

O ministro do Meio Ambiente teve de brigar para ver a prestação de contas de ONGs ambientais que levam dinheiro do BNDES.

Pizza do dia

A CPI tem reunião marcada para tentar votar o relatório final. Sem Lula e Dilma entre os indiciados, a expectativa é de aprovação… da pizza.

Banco Safra virou alvo da Lava Jato e da Zelotes

O fundador do Banco Safra, Joseph Safra, e dos principais executivos do banco, João Inácio Puga, foram acusados na operação Zelotes de pagar propina de R$15,3 milhões para obter decisões favoráveis no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), da Receita Federal. Safra acabou absolvido, mas procuradores sustentavam que o banqueiro tinha conhecimento das irregularidades e da propina.

Safra com Maluf

O Safra National Bank of New York teve de pagar às autoridades do Brasil US$ 10 milhões por ter feito operações para Paulo Maluf.

US$ 100 milhões sujos

O ex-prefeito Paulo Maluf e familiares movimentaram apenas no Safra de Nova York mais de US$ 100 milhões, segundo o Ministério Público.

Panamá Papers

Empresas do grupo Safra, além do próprio controlador, são citados no escândalo Panamá Papers, que trata de bilhões em paraísos fiscais.

Banqueiros blindados

Bancos caras-de-pau encerram contas de clientes “politicamente expostos”, ou seja, enrolados em investigações. Mas banqueiros que subornam políticos nem sequer são incomodados pelo Banco Central.

Apenas 2%

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, lembra que o Orçamento do governo é de R$1,5 trilhão, mas sobram apenas R$ 30 bilhões para investimento. Ninharia para um País de 210 milhões de habitantes.

Fim da novela

Deve chegar ao fim, esta semana, a novela da PEC da reforma da Previdência. O plenário do Senado deve votar nesta terça (22), em segundo turno, a matéria que teve 56 votos favoráveis no primeiro.

Brasil brasileiro

O xingamento a Bolsonaro pelo Líder do PSL ofendeu ouvidos mais sensíveis, mas uma reunião de deputados no Brasil não é comparável exatamente a uma assembleia de clube de campo de lordes ingleses.

Choro é livre

A Comissão de Trabalho da Câmara atendeu a pedido de deputados do PT para debater se o Cade “extrapolou” competências legais ao permitir a venda de oito refinarias da Petrobras. O choro é livre.

Chilique não é antiético

O Conselho de Ética da Câmara analisa processo contra Glauber Braga (Psol-RJ) pelo chilique que o deputado deu na sessão da CCJ que ouviu o Sérgio Moro (Justiça). O relatório é pelo arquivamento.

Que perigo!

A CPI das Fake News do Senado, que pretende conceituar e delimitar “fake news”, além debater seus impactos, inicia a série de audiências públicas na terça. Perigoso é parlamentares decidirem o que é mentira.

Prognóstico animador

A Instituição Fiscal Independente (IFI) divulgou relatório afirmando que o cenário relativo à inflação é “confortável” e que essa expectativa cria condições para que o Copom mantenha “ciclo de queda da taxa Selic”.

Pensando bem…

…esta semana pode marcar o fim da novela da Previdência e também o fim da operação Lava Jato.