Novas lideranças políticas surgem e podem concorrer às eleições municipais 2020

0
493
Militante das causas femininas e defensora das bandeiras dos direitos do cidadão, o nome da psicóloga e empresária Fernanda Rodrigues é bastante especulado nos bastidores da política.FOTO: Divulgação

As atenções do universo político em Governador Valadares
começam a se voltar, de forma definitiva, para as eleições do ano
que vem, quando serão eleitos prefeitos e vereadores em todas as
cidades do País. O cenário eleitoral no município se mostra reconfigurado,
com filiação de pessoas conhecidas, porém, sem histórico
de política. Militante das causas femininas e defensora das
bandeiras dos direitos do cidadão, o nome da psicóloga e empresária
Fernanda Rodrigues é bastante especulado nas redes sociais
como possível postulante à pré-candidatura à Prefeitura de
Governador Valadares no ano que vem.

Nesta entrevista ao DIÁRIO DO RIO DOCE, Fernanda diz que
ainda não é filiada a nenhum partido, mas está à disposição, para
articulações.Com formação em Psicologia na Universidade Vale
do Rio Doce (Univale), CEO da Funerária Gonzaga e mãe de três
filhos, Fernanda surge como uma surpresa entre as lideranças
políticas da cidade. Com fama de gestora de pulso firme e defensora
da participação feminina na política, o nome da empresária
ganha cada vez mais força entre o eleitorado.

Embora o período eleitoral esteja longe, Fernanda admitiu a
possibilidade de lançar seu nome para disputar o cargo ao Executivo
municipal em 2020. “É certo afirmar que o cenário eleitoral
prediz a participação de mulheres na política. Sou conhecida na
cidade não só pelos trabalhos que fiz na área de psicologia, mas
também pelos treinamentos em marketing eleitoral para candidatos
políticos da região. Em 2015 adquiri a marca da Funerária
Gonzaga e agreguei os dois trabalhos. Nas redes sociais sou bastante
conhecida, não só pelas questões femininas, mas por movimentos
de direito do cidadão. Mesmo com esse jeito de ajudar o
próximo, um grupo de mulheres no WhatsApp pensou em uma
representação feminina no cenário político no ano que vem e
pediu o meu nome. Diante de um cenário político desgastado, o
atual gestor não tem cumprido com seus deveres e a população
pede mudanças”, disse.

Segundo Fernanda, outro motivo que a levou a estar mais próxima
da política foram as queixas de clientes com o atual governo.
“Eu tenho um trabalho na cidade no serviço de funerária,
então, convivo diariamente com as dores da população, até nos
assuntos de velório. E em contato com diversas famílias em Valadares,
a gente percebe a rejeição do atual prefeito; a falta de água
em alguns bairros é constante. É importante a cidade ter uma prefeita
que, ao assumir a gestão municipal, sinta na pele a realidade
de quem passa por essas dificuldades. Sou valadarense e não
podemos deixar a reeleição acontecer para suportar oito anos
desse atual governo”, afirma.

Fernanda afirma ter comportamentos semelhantes ao do
prefeito de Colatina (ES), Sérgio Meneguelli (PMDB). “Esse
deveria ser o papel de todo prefeito, de acompanhar de perto o
que está sendo feito e não ter medo de retaliações. Eu nunca
tive medo de ser punida ou sofrer alguma retaliação das coisas
que posto no meu Facebook. Se é bom eu posto; se é ruim, eu
posto também. Isso criou um processo de identificação com a
minha imagem”, conta.

MAIS MULHERES NA POLÍTICA

Fernanda diz que sempre esteve com os pés no chão e nunca
imaginou que seu nome estaria em evidência nos bastidores da
política. Segundo a psicóloga, o impulso surgiu através do pedido
em um grupo de mulheres. “O grupo surgiu no ano passado, não
com viés político. O nome do grupo é ‘Mulheres Empoderadas’.
No início, a gente falava de diversos assuntos, sempre com o
intuito de ajudar e trocar ideias umas com as outras. De um
tempo para cá, o grupo começou a tratar de assuntos relacionados
a política, a falar que a Câmara Municipal não tem uma boa
representatividade feminina, que a atual gestão do prefeito não
está agradando. Então, me ofereci para ajudar de alguma forma a
ter mais mulheres no Legislativo e no Executivo. Se houver uma
pesquisa de intenção de voto e meu nome aparecer nessa pesquisa,
aceito me candidatar e farei o que for preciso para fazer uma
cidade melhor”, afirma.

Embora a construção das alianças para o pleito em 2020 já
tenha se iniciado, mesmo que de forma silenciosa, Fernanda diz
que prefere ter cautela na escolha de um partido. “Tenho escutado
algumas lideranças de partidos para sondar um que tenha os
mesmos ideais que defendo. Não adianta defender uma bandeira
e ir para um partido que não condiz com a realidade. Estou nessa
fase de articulação e identificação”, diz.

Por fim, colocada em uma situação hipotética, Fernanda foi
questionada sobre as demandas que seriam prioritárias caso fosse
prefeita de Valadares. “A primeira medida é retomar a escola de
tempo integral, criar convênio com o presídio para apenados
prestarem serviços de limpeza; viabilizar captação de água eficaz
pra atender a população; criar um cemitério municipal pet e continuar
lutando pela defesa dos direitos do cidadão”.