Central do Assinante







PUBLICIDADE


AS MAIS LIDAS
Página Inicial:: >> Notícias do Brasil & Mundo >> Agropecuária >>
sábado, 27 de junho de 2015

Pecuaristas apostam na raça Brahman

Capacidade de tolerar altas temperaturas faz do Brahman um animal de corte ideal para as regiões quentes
FOTO: Antônio Cota
PIONEIRO NA criação da raça no Leste de Minas, Isaac Persiano relata que os benefícios são muitos, já que os animais são mais rústicos e produzem bem leite e carne
GOVERNADOR VALADARES -

Rusticidade e excelente desempenho produtivo e reprodutivo fazem da raça Brahman uma das opções de gado de corte que mais vem ganhando adeptos na pecuária nacional. O zebuíno é resultado do cruzamento de outras quatro raças: Gir, Nelore, Guzerá e Krishna Valley. Além de rústicos, destacam-se também pela fertilidade, habilidade materna, docilidade, precocidade em acasalamento e excelente ganho de peso com alto percentual de musculatura. Em Valadares, o pecuarista Isaac Cohen Persiano apostou na atividade há 12 anos, sendo o pioneiro em trazer o gado da raça Brahman para a região.

 

A raça é nova ainda no Brasil. Foi introduzida há poucos anos, em 1994, em consequência da alteração da legislação pelas diretorias da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). Quanto às características raciais, existem animais que vão desde o cinza bem claro até o cinza escuro. Os machos, geralmente, tendem a ser mais escuros que as fêmeas. Os chifres são escuros e simétricos. A cabeça tem perfil de retilíneo a subconvexo e orelhas médias, largas, com pontas arredondadas. Segundo Persiano, o Brahman tem o ganho de peso rápido, além de se acostumar com o tratamento extensivo, o que torna a raça perfeita para a pecuária de corte. “Em 2003 viajei por vários estados para conhecer a genética da raça. Começamos a olhar fêmeas em feiras de touros na região e adquirimos algumas fêmeas para reprodução. Hoje, temos um plantel bastante significativo e a cada ano cresce a procura dessa raça no Leste de Minas. De janeiro a abril já vendemos touros que não conseguimos vender em um ano com as outras raças. Nas exposições agropecuárias brasileiras, é a raça de maior procura para a pecuária de corte e já é o terceiro maior rebanho do mundo e o primeiro no Brasil”, disse o pecuarista, que tem aproximadamente 350 cabeças de gado e mais de 200 matrizes criadas em sua fazenda.

 

Já no quesito reprodutivo, Persiano acrescenta que uma marca comprovada dessa raça é a sua alta capacidade de se reproduzir regularmente. “As vacas Brahman parem um bezerro com bom potencial de crescimento todos os anos, isso devido à alta tolerância do Brahman a temperaturas altas, quando acontecem a maioria das estações de monta” , disse.

 

Pioneiro na região, o gado de Persiano já representou Valadares em diversas exposições agropecuárias pelo Estado. “Nosso touro IC 19 ficou em primeiro lugar na Exposição Brahman Minas Show, realizada em Belo Horizonte, em 2007. Nossa  novilha IC 7 foi a pioneira na pesagem de leite pela Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). Tiramos uma média de 17kg e depois tiramos 15kg de uma outra vaca. Posteriormente, nesses dois animais, resolvi fazer a lactação completa e acompanhamos 10 meses de lactação, aproximadamente. Elas produziram mais de 4 mil kg de leite”, lembrou.

 

Um dos trunfos para quem pensa em criar e posteriormente comercializar a raça Brahman são os cruzamentos para quem aposta em gado de corte e de leite. Um exemplo é a cruza do Brahman com a raça Holandesa, que origina a Brahmolando, que gera animais com alta produção de leite. “A raça é de fácil manejo e se adapta muito rápido a climas tropicais, uma perfeita escolha para quem é pecuarista aqui na região. Outra característica é a utilização da raça por pequenos produtores de leite que usam os touros Brahman ou as inseminam com eles. O bezerro nasce com mais agilidade, cresce mais sadio e com a venda de machos e fêmeas conseguem buscar reposição com menor custo. O objetivo de se criar Brahman na região é fornecer uma genética para melhorar o gado comercial”, destacou o pecuarista.

OLHO: “A raça é de fácil manejo e se adapta muito rápido a climas tropicais, uma perfeita escolha para quem é pecuarista aqui na região”









COMENTE ESTA NOTÍCIA


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA






NOTÍCIAS RELACIONADAS