Central do Assinante







PUBLICIDADE



AS MAIS LIDAS
Página Inicial:: >> Notícias do Brasil & Mundo >> Notícias >>
sexta-feira, 17 de abril de 2015

‘Queremos justiça!’

O apelo é da família e dos amigos de Altino Gabriel, assassinado em dezembro último na porta de casa, em Mendes Pimentel. Os acusados foram apresentados nesta sexta-feira.
OS SUSPEITOS chegaram em duas viaturas e foram ouvidos separadamente pelos delegados
COM CARTAZES e faixas parentes e amigos de Altino clamavam por justiça
Ampliar foto
MENDES PIMENTEL -

Dois acusados de cometerem um crime que chocou a população de Mendes Pimentel, cidade a 80 quilômetros de Valadares, em dezembro último, foram apresentados na manhã desta sexta-feira, na delegacia da cidade. A vítima do crime, Altino Gabriel dos Reis, de 16 anos, foi assassinado com um tiro durante um assalto. Além dos suspeitos D.D.L.R., de 24 anos, e J.T.L.R., de 21, foram presos também W.M.O., de 25, e  J.L.N., de 19. Eles são acusados de participar de uma quadrilha especializada em assalto a postos de combustíveis na região. Três deles são irmãos. 

As investigações foram feitas pelas delegacias de Itabirinha e Mantena, e a conclusão é que os irmãos D.D.L.R. e J.T.L.R. são os principais suspeitos do crime. Os dois são da cidade de Central de Minas. De acordo com a delegada Daniely Muniz Oliveira, no inquérito consta que na noite do crime os acusados foram até a cidade de Mendes Pimentel para assaltarem um posto de gasolina localizado em frente à casa de Altino. "Nas primeiras informações, já desconfiávamos de um latrocínio, uma vez que, a partir da análise de algumas imagens fornecidas pelo posto de gasolina, pudemos verificar que os dois agentes criminosos entram no posto e, segundos depois, se dirigem ao centro da cidade. Aparentemente eles vão até o posto para assaltar e não conseguem, uma vez que o estabelecimento estava fechado. Em seguida, eles tentaram assaltar o Altino, que estava na porta de casa com um celular na mão. Ele se assustou e correu para dentro de sua residência, sendo alvejado nas costas por um disparo de arma de fogo", contou a delegada. 

 

Os assaltantes não conseguiram pegar o aparelho de Altino, e em seguida saíram em direção ao Centro, onde assaltaram uma adolescente, levando dela um celular. "Nossa equipe conseguiu fazer alguns levantamentos acerca desse aparelho [roubado] que nos levaram a alguns suspeitos", disse Daniely Oliveira. A delegada informou ainda que os suspeitos não se manifestaram e alegaram só falar na presença do advogado ou do juiz. 

QUADRILHA 

De acordo com o delegado Iure da Mota, no período de um ano aconteceram vários assaltos a postos de combustíveis na região. Além de D.D.L. e J.T.L.R., foram presos W.M.O. e J.L.N., acusados de participar de uma quadrilha. D.J. e J. são irmãos. "De posse das informações, verificamos que as características físicas e a atuação dos suspeitos eram muito parecidas. Como o latrocínio aconteceu em frente a um posto de combustíveis, e temos uma imagem deles entrando e saindo do posto, verificamos que era indício forte de que seria a mesma quadrilha responsável por esses assaltos."  

 

Ainda de acordo com o delegado, após análises eles chegaram aos quatro suspeitos, o que não descarta a possibilidade de outras pessoas estarem envolvidas. "Alguns desses  indivíduos também estão relacionados em um uma investigação sobre furto de joias em Central de Minas, onde, segundo a vítima, material avaliado em R$ 700 mil foi subtraído da casa dela. Parte dessas joias foi recuperada na casa de um dos envolvidos preso", disse Mota, concluindo que os quatro vão responder por associação criminosa e dois também por latrocínio. Estes, se condenados pelo crime de latrocínio, podem pegar de 20 a 30 anos de prisão. 

FAMILIARES E AMIGOS SE MANIFESTAM  

Dezenas de pessoas estiveram na porta da delegacia de Mendes Pimentel. Com cartazes e faixas, parentes e amigos de Altino clamavam por justiça. "É muito revoltante saber que esses vagabundos fizeram isso com meu sobrinho. É muito triste saber que eles tiraram meu sobrinho de dentro de casa para fazer uma covardia dessas. É muito triste. Ele para mim era como um filho. Fizeram uma covardia com a gente", disse a tia de Altino, Neudes Barbosa.

O CRIME  

O crime aconteceu no dia 13 de dezembro. Altino estava na porta de casa, aguardando uma carona para participar de uma formatura em Valadares, quando foi abordado por alguns indivíduos que, na intenção de assaltá-lo, acabaram assassinando-o.

 

A cidade, com pouco mais de 6 mil habitantes, teve sua rotina alterada, pelo perfil da vítima, que era uma pessoa benquista. Essa indignação levou a sociedade local a se organizar  para uma manifestação que reuniu mais de 500 pessoas, no dia 13 de janeiro deste ano, num apelo por paz, justiça e segurança na cidade.









COMENTE ESTA NOTÍCIA


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA






NOTÍCIAS RELACIONADAS