Central do Assinante







PUBLICIDADE



AS MAIS LIDAS
Página Inicial:: >> Notícias de Valadares e Região >> Notícias >>
quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Sai da cadeia e é fuzilado próximo a presídio no Santos Dumont

Dois homens esperavam a vítima nas imediações da cadeia e o mataram com vários tiros de revólver calibre 38
FOTO: Arquivo
O homicídio ocorreu nas proximidades do “cadeião” poucos minutos depois que a vítima ganhou liberdade. Macmiler esperava o socorro da esposa, mas os criminosos chegaram primeiro e o mataram

A Polícia Militar ainda está à procura de dois homens que mataram com tiros à queima-roupa o ex-detento Macmiler Ferreira, por volta de uma hora da madrugada de ontem. Segundo informações dos policiais do Sexto Batalhão de Polícia Militar, a vítima havia ganhado liberdade na cadeia pública do bairro Santos Dumont por volta das 23h da noite de quarta-feira e, segundo relato de testemunhas, mesmo próximo do presídio Macmiler estava sendo perseguido por alguns indivíduos.

 

Ainda de acordo com testemunhas, Macmiler ainda chegou a entrar numa residência para se esconder, mas dois homens invadiram o imóvel. Ele ainda tentou fugir pelos fundos do quintal da casa, mas acabou sendo alcançado. Nesse momento ele implorou para não ser morto, mas eles efetuaram vários disparos à queima-roupa e fugiram a pé com revólveres em punho, e não foram mais vistos.

 

Logo que foram acionados, os policiais militares chegaram ao local e encontraram a vítima ensanguentada e sem os sinais vitais.

 

Diante da situação, os militares isolaram a área à espera dos peritos da Polícia Civil e deram início às buscas por informações que pudessem ajudá-los a localizar os criminosos. Numa avaliação preliminar, os peritos informaram que Macmiler levou dois tiros na mão direita, dois no tórax do lado direito, um no abdome e um no queixo, totalizando seis disparos, provavelmente de revólver calibre 38.

 

Uma equipe do sistema prisional também esteve no local e confirmou que a vítima havia sido liberada por volta das 23 horas, ou seja, duas horas antes de ser morta. Os policiais não conseguiram levantar informações sobre quem eram os assassinos e nem qual a motivação do crime. Um policial experiente disse que da forma que o crime ocorreu, foi provavelmente por duas hipóteses: queima de arquivo ou vingança, mas isso só será esclarecido quando eles forem localizados e presos ou se apresentarem espontaneamente na delegacia de homicídios após vencer o período da prisão em flagrante.

 

A ocorrência foi finalizada no final do plantão dos militares na manhã de ontem e entregue ao delegado da Homicídios. Mesmo assim outras equipes do Sexto Batalhão seguiam em diligência à procura dos criminosos, para encontrá-los antes de vencer o prazo do flagrante.









COMENTE ESTA NOTÍCIA


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA






NOTÍCIAS RELACIONADAS