Central do Assinante







PUBLICIDADE


AS MAIS LIDAS
Página Inicial:: >> Notícias de Valadares e Região >> Notícias >>
quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Fundação diz que nova fonte de captação de água sai em 3 anos

Prefeitura e Fundação Renova anunciaram ontem que farão nova adutora para captar água do rio Suaçuí Grande
FOTO: Antônio Cota
DETALHES DO projeto foram explicados nesta quinta-feira na Prefeitura
GOVERNADOR VALADARES -

Perto de completar um ano do maior desastre ambiental do País, o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, a Fundação Renova e a prefeitura de Valadares anunciaram na tarde desta quinta-feira o início do projeto de implantação de uma adutora no rio Suaçuí Grande, no norte do município. Toda a execução da obra será de responsabilidade da Fundação Renova. Com uma extensão de 22 quilômetros e vazão de 900 litros por segundo, a nova adutora poderá reduzir em até 65% a dependência de abastecimento de água no município do rio Doce. O prazo para a entrega das obras é de três anos.

 

Além dos diretores regionais e representantes da Fundação Renova, estavam presentes no auditório da Prefeitura a prefeita Elisa Costa (PT) e o deputado federal Leonardo Monteiro (PT-MG). A água chegará à Estação de Tratamento Central e o município contará com mais uma fonte de abastecimento para os casos de escassez hídrica. A captação de água no rio Doce continuará sendo feita normalmente pelo Saae. Todo o empreendimento custará cerca de R$ 1 milhão.

 

Próximo do fim de seu mandato, Elisa Costa disse que estudos técnicos apontam para uma disponibilidade hídrica adequada para captação no Suaçuí Grande. “Quarenta e um programas estão sendo preparados para que nos próximos anos possamos recuperar toda a bacia  do rio Doce. Sempre defendi que esses recursos vão ser destinados a esses 41 programas. Estamos aqui nessa cerimônia, que considero uma conquista do nosso governo. Outras restaurações também fazem parte desse processo, mas essa nova alternativa de captação de água no Suaçuí Grande é a maior expectativa dos valadarenses há anos.”

 

Questionada sobre a demora para encontrar uma alternativa rápida e eficiente para captação de água no município, a prefeita disse que problemas antigos e falta de verba impediram que medidas fossem implantadas com mais rapidez. “O rio Doce já era um rio poluído, já tínhamos um Comitê de Bacias que visava à recuperação. Mas faltava algo fundamental: o dinheiro. Mesmo somando recursos do município e do Estado, não eram suficientes para recuperar a bacia inteira. Diante dessa tragédia, que impactou todos nós, principalmente as indústrias, a agropecuária e pescadores, a recuperação do rio ficou mais difícil. Mas tenho certeza que, através da integração e participação da sociedade, vamos chegar a uma solução definitiva para a falta de água”, afirmou.

 

O gerente regional da Renova, Alisson Werneck, falou sobre o papel da fundação nesse processo de captação alternativa e explicou como serão divididas as etapas da construção da adutora no Suaçuí Grande. “A Fundação Renova é uma instituição independente constituída para reparar os danos causados pelo rompimento da Barragem de Fundão, de propriedade da Samarco. O primeiro passo da captação alternativa será um levantamento de campo, depois, estudos de engenharia, autorizações e licenciamentos. Essa parte esperamos concluir em dois anos, e a finalização de tudo em três anos. Algumas ações já começaram a ser desenvolvidas. Daremos mais detalhes sobre o local escolhido para a implantação da adutora em uma próxima coletiva de imprensa”, concluiu.









COMENTE ESTA NOTÍCIA


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA






NOTÍCIAS RELACIONADAS