Central do Assinante







PUBLICIDADE



AS MAIS LIDAS
Página Inicial:: >> Notícias de Valadares e Região >> Notícias >>
sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Policia Federal combate quadrilha de falsificadores de documentos

O grupo agia para conseguir a documentação necessária para seus clientes entrarem em outros países, sendo os EUA o principal destino
FOTO: Divulgação
QUADRILHA FALSIFICAVA documentos de pessoas que tentavam ir para outros países
GOVERNADOR VALADARES -

A Polícia Federal deflagrou a “Operação Espectro”, para prender uma quadrilha de falsificadores de documentos e especializada no envio de pessoas para o exterior. Os criminosos atuavam em Valadares e na região. A Delegacia da Polícia Federal iniciou a operação em 2014, contando com informações de órgãos do exterior, que forneceram dados importantes sobre o fluxo ilegal de cidadãos brasileiros presos e deportados em razão da clandestinidade, os quais contribuíram para a identificação dos responsáveis por tais crimes no Brasil.

 

Estão sendo cumpridos dez mandados de busca e apreensão e nove de conduções coercitivas, que têm por objetivo colher esclarecimentos e provas de interesse para as investigações em andamento. A medida da PF busca apurar práticas de falsidade documental, uso de documento falso e associação criminosa. “O grupo desmantelado agia com documentos falsos para conseguir a documentação necessária para seus clientes ingressarem em outros países, sendo os EUA o principal destino. Essas viagens demandavam significativo investimento por parte dos interessados, deixando as famílias endividadas com o alto custo de todas as fases da viagem, sendo realizadas em regra pelo mínimo de US$ 18.000 (dezoito mil dólares), mas podendo chegar a US$ 24.000 (vinte e quatro mil dólares) ou mais, de acordo com a complexidade da travessia e da condição econômica do cliente (se já havia sido deportado anteriormente), apresentação pessoal e se iria acompanhado”, informou a PF.

 

“Espectro”, segundo o dicionário, significa de aparência falsa, enganadora. “O nome da operação policial faz referência ao fato de os “coiotes”, como são chamadas as pessoas que atuam na travessia clandestina de imigrantes, venderem falsas esperanças de uma travessia para os EUA de forma tranquila. Em alguns casos, essas travessias terminam na prática de diversos delitos, chegando até a extorsão mediante seqüestro”, concluiu a PF.

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.









COMENTE ESTA NOTÍCIA


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA






NOTÍCIAS RELACIONADAS