Central do Assinante







PUBLICIDADE



AS MAIS LIDAS
Página Inicial:: >> Notícias de Valadares e Região >> Notícias >>
segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Homem é preso com documentação falsa

FOTO: Jack Zalcman
O delegado responsável pelo caso, Márcio Bento Costa, contou que há três anos Antônio Vilson de Souza se passava por Roberto Carlos Caldeira, que tem síndrome de Down
GOVERNADOR VALADARES -

A Polícia Civil abriu inquérito para apurar o caso de um homem que há três anos vivia na cidade com os documentos de homem que tem a síndrome de Down. O acusado chegou a fazer compras e viagens com a documentação falsa. Antônio Vilson de Souza, de 35 anos, está preso, em cumprimento de mandados de prisão contra si oriundo do estado do Rio de Janeiro e pode pegar também de 1 a 5 anos de prisão pela falsificação.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Márcio Bento Costa, Antônio de Souza, que é natural do Ceará, cometeu uma tentativa de homicídio em Valadares em 2008. "Na época não foi apurado quem era o autor. Em 2012, os policiais chegaram até ele, que se apresentou como Roberto Carlos Caldeira, de 39 anos", disse Costa, explicando que o homem não foi preso porque os nomes não batiam.

Com a documentação falsa, Antônio fez várias viagens e adquiriu automóveis. "Ele levou uma vida normal de empresário aqui na cidade. Comprou carros, imóveis, tudo usando a identidade falsa", disse. No dia 31 de julho deste ano, os policiais conseguiram prender  Antônio, porque havia um mandado de prisão preventiva contra ele pela tentativa de homicídio que ocorreu em 2008, mas dessa vez já com o nome de Roberto Carlos.

Por coincidência, o verdadeiro Roberto Carlos foi até o posto da UAI no dia 1º para fazer seus documentos pessoais. "Quando chegou lá, ele viu que já tinha prontuário e que inclusive a pessoa estava presa. Ele acionou os investigadores, que foram até o presídio e interrogaram Antônio. Este acabou confessando que ele tinha falsificado uma identidade", disse o delegado, destacando que se o Roberto Carlos tivesse ido ao posto da UAI três dias antes, poderia ter sido preso, uma vez que o mandado de prisão estava em seu nome.

Falsificação

Para que Antônio conseguisse se passar por Roberto ele falsificou a documentação da vítima. "Em 2010, ele [Antônio] foi à residência de Roberto, num distrito de Coroaci, e disse à mãe dele que viera pegar os documentos dele aposentá-lo. Antônio pegou os documentos de Roberto e sumiu. A família é muito simples e nem se lembrou mais da situação", explicou Costa.

Confira o texto na íntegra na edição impressa do DRD de terça-feira, 6.









COMENTE ESTA NOTÍCIA


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA






NOTÍCIAS RELACIONADAS