Central do Assinante







PUBLICIDADE



AS MAIS LIDAS
Página Inicial:: >> Notícias do Esporte >> Notícias >>
sexta-feira, 16 de setembro de 2016

O campeão do parapente

FOTO: Antônio Cota
VALADARENSE VENCEU o Campeonato Brasileiro de Parapente disputado em Araxá e garantiu vaga no Mundial
GOVERNADOR VALADARES -

Com 20 anos de voo livre, Moisés Sodré, o Moca, não para de colecionar títulos. O valadarense foi o vencedor do Campeonato Brasileiro de Parapente, disputado entre os dias 3 e 10 de setembro, em Araxá, no Triângulo Mineiro. Recentemente o piloto também bateu o recorde valadarense de distância: 211 km. Ele saiu de Valadares até Canaã, na Zona da Mata mineira.

 

O Campeonato Brasileiro foi disputado junto com o 19º Aberto de Voo Livre em Araxá. Em uma altitude de 3.500 metros, 150 pilotos de vários estados do Brasil, da Argentina, da Suíça e do Canadá duelaram no céu em busca do título e da classificação para a Copa do Mundo de Voo Livre, que será realizada em Valadares, em 2017. O campeonato foi organizado pela Confederação Brasileira de Voo Livre e a Federação Internacional Aeronáutica.

 

O primeiro lugar só foi conquistado na última etapa do campeonato. Moca terminou a prova com 6.105 pontos, 13 pontos à frente do segundo colocado, Weyder Coelho, que fez 6.092 pontos. De volta a Valadares, o piloto comemorou o título. “Foi um campeonato muito disputado. Até a segunda etapa eu estava atrás do primeiro colocado 100 pontos. Só me aproximei na última etapa. Graças a Deus consegui ultrapassar. Fico feliz com os resultado, principalmente porque meu desempenho nas últimas edições terminava na segunda colocação”, comemora.

 

A última vez que Moca conquistou o título do Brasileiro foi em 1996. De lá pra cá, foram três vices campeonatos e mais oito anos afastado de competições. O piloto diz que o título veio coroar os 20 anos de carreira, completados ano passado. “Sempre entro nas competições para ser campeão. Com esta nova geração de pilotos, fica cada vez mais difícil ficar entre os melhores, mas sempre persisti em continuar a voar, e a vitória no Brasileiro foi a prova disso.”

Araxá já faz parte do cenário das competições nacionais e internacionais de voo livre. Segundo Moca, a cidade é conhecida por ter ótimas rampas de salto, duas delas no morro do Horizonte Perdido, onde a prática do voo livre é antiga. “É uma região muito fria, é perfeita para voos. A qualidade do local ganha repercussão nacional e internacional em virtude das ótimas condições climáticas e de voo, além de um cenário muito bonito”, comenta.

 

Classificado para a Copa do Mundo, que será em Valadares ano que vem, Sodré tem outro desafio pela frente. Ele vai disputar o Desafio Sudeste de Voo Livre nos dias 23, 24 e 25 de setembro, em Belo Horizonte.

 

Além do título do Brasileiro, Moca quebrou o recorde de distância na última segunda-feira (12). Ele sobrevoou 211 km de Valadares até Canaã, na Zona da Mata mineira. O recorde pertencia  ao carioca Rodrigo Slow, que havia voado 205 km, em 2009. Ele decolou de Valadares às 11h40 e pousou às 17h45, em Canaã. “Desde 2014 que estou tentando quebrar esse recorde. A quebra de recorde depende muito das condições climáticas da região. Em Valadares, isso é muito difícil, porque nosso clima é quente. Além disso, quando você chega em Caratinga o vento faz o parapente se deslocar para o mar, e a distância é quebrada. A distância é medida em linha reta. Existem outros lugares melhores para fazer esse tipo de voo. No Nordeste, por exemplo, apesar do clima seco, venta muito forte e o vento segue sempre a mesma direção”, explicou.









COMENTE ESTA NOTÍCIA


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA






NOTÍCIAS RELACIONADAS